23 de ago de 2007

Cap 81: Abandonando o mar

Apareci na sala do meu tio com um bico enorme. Brigar com Caio não me deixava disposta a trabalhar ou fazer qualquer outra coisa que demandasse bom humor.

_Isabela, você sabe que eu estou promovendo uma festa para as pessoas terem um momento de alegria?

_Sei sim. _ olhei para o alto e respirei fundo.

Ele não acrescentou mais nada, era como se começássemos a adquirir a partir dali a habilidade de entender um ao outro sem muitas palavras.

_Pois bem. Você já está preparada para subir um degrau. _ aquilo era uma afirmação que, vindo dele, me dava uma gota de felicidade por seu reconhecimento. _ Quero que supervisione tudo. _ entregou-me o rádio e pegou alguns papéis na mesa antes de descermos para o salão. _ A festa de hoje é de quinze anos. _ ele olhou uma folha. _ Será um pouco diferente...

_Como assim? _ perguntei.

Tio Paulo procurou as melhores palavras para me explicar a situação. Chegou mais perto e falou baixo:

_O pai dessa garota tem dinheiro. Muito dinheiro. _ pausou. _ E não nos importa como ele consegue tal dinheiro. Ele nos contrata, paga adiantado e proporcionamos a melhor festa que já sonhou para a filha.

_Claro. _ concordei, não vendo ainda nada de peculiar nisso.

_A garota não quer uma festa de princesa, com vestido de bolo, nem aquela coisa antiga... _ colocou a mão no queixo. _ Por isso... bolei algo diferente. Chamei uma equipe de dançarinas de funk. Elas vão entrar por aquela pista com direito a muita fumaça. _ apontou para um tapete que estava sendo desenrolado pelos empregados. _ Depois, o DJ vai tocar todas as paradas do momento e tudo vai sair nessas caixas de som. _ apontou para enormes equipamentos que juntos formavam um perfeito ambiente de baile funk._ Faremos projeções nas paredes... _ Tio Paulo começou a descrever tudo que estava previsto. _ Problemas podem acontecer e para isso teremos um número maior de seguranças. Você deve estar em alerta. Isabela, esqueça o mundo lá fora. Não misture o profissional com o pessoal.

Entendi ao que ele se referia.

_Tentarei fazer isso. _ concordei.

_Ótimo, estarei na sala. Sempre que precisar, use isso. _ segurou o rádio junto com a minha mão e apertou-os.

_Todas essas pessoas estão sob o seu controle. Supervisione, verifique cada detalhe. _ passou-me as folhas com os dados da festa.

Respirei fundo, não sabia nem por onde começar. Senti um friozinho na barriga. De repente, Caio e nossa briga ficaram mais longe. Aquele era o meu território, o meu trabalho, a minha vida.

Eu gostava de saber que existia algo além dos problemas do meu relacionamento, que, em algum lugar, eu era reconhecida, respeitada e temida. Antes, ao contrário, eu não fazia nada em casa além de estudar, por isso, tudo se resumia nos meus pensamentos em torno de Caio e eu. Isso me deixava muito depressiva.

Assim, tive minha primeira noite de Poder. Aprendi a sentir o cheiro de confusão de longe, a fingir que tudo estava bem quando, na realidade, boa parte parecia um caos. Os empregados seguiam as minhas ordens e todo aquele universo funcionava ao comando do meu rádio transmissor.

Chegando em casa, joguei a chave no armário, tirei o sapato, tomei um banho quente e deitei na cama. Dormi até o meio dia. Caio parecia mais aborrecido ainda por eu ter trabalhado toda a noite e ter perdido o seu fim de semana vendo televisão.

_Desculpe, meu amor. _ disse-lhe, mas sem muita pena ou arrependimento. _ Essa é a minha vida agora. Durante a semana é assim também, só que você não está aqui, está lá cuidando da sua carreira. Então, se eu posso tolerar todos os seus serviços, as suas punições, os seus campos, você terá que tolerar o meu trabalho. Não é justo?

_É. _ concordou de má vontade.

Nos beijamos e ficamos abraçados. Eu sabia que, aos poucos, nada mais ficaria igual. Caio queria como futura esposa uma Bela só para si, dentro de casa, cuidando da família, como era a sua mãe. Eu não era isso e nem queria ser.

O pavio estava aceso e começava a consumir a cordinha.

Depois de assumir a coordenação geral dos eventos de maneira brilhante, meu tio me chamou em sua sala para me parabenizar e dar uma notícia.

Notei que havia algo diferente naquele dia, na arrumação da sala. Os quadros sumiram da parede, a mesa estava vazia dos pertences do Tio Paulo e dois arranjos de flores a enfeitavam.

_Isabela, eu fiquei admirado com a velocidade que aprendeu tudo, adorei suas idéias de fazermos um site para o salão, de panfletarmos. Isso reverteu em um aumento da procura... Enfim, você conseguiu superar as minhas expectativas.

Meu coração disparou. Eu já estava tão feliz com o meu salário de 2 mil reais, com a estimulante rotina, não tinha mais o que reclamar.

_Eu já estou ficando um pouco cansado e quero me aposentar, tomar minha cervejinha em paz... O marinheiro aqui precisa abandonar o mar.

Aonde ele queria chegar? Iria vender tudo?

_Por isso, eu vou passar o comando disso tudo aqui, inclusive dos dois outros salões que já estão quase prontos... Enfim, para resumir, isso aqui não vai ficar abandonado, vai para as mãos de outra pessoa. Aliás, a sala já está pronta para isso.

_Estou vendo. Posso saber quem é? _ perguntei.

_Pode, claro. Sente ali. _ indicou a cadeira estofada onde sempre se sentava.

_Ali? _ franzi a testa.

Sentei.

_Espere um momento.

Ele saiu e eu fiquei sentada, ansiosa para ver quem era a minha nova chefe que ele saíra para chamar.

Autora: Li



*Blog da Bela e da Débi

* Comunidade do livro no orkut!

O livro ganhou o troféu "The Best!" do mês, no site A Gazeta dos Blogueiros!

5 comentários:

Lucy disse...

Gente, que perfeito!!! \o/
Ela é muito, muito esperta!!! E é loira!!! Pra vocês verem que não é a cor do cabelo que define a inteligência, é a falta de objetivos que tornam as mulheres fúteis!

A Bela é diferente, é especial! \o/
Estou tão feliz por ela, pelas vitórias, pelas lições aprendidas... tudo!

Poxa, tomara que o Caio compreenda... =( e apóie também porque mesmo ganhando tudo na vida dela, ficará um vazio (mesmo que ela ignore isso) no peito se ele não ficar orgulhoso, apoiar e tudo... ow, tomara que dê tudo certo. Claro, isso só depende deles, individualmente.

Ai, Li... quanta emoção!!!

aninha disse...

hauhuahua!!! a Lucy empolgou hoje!!!!!!hehehe!!!!!! mas eu também to vibrando com as vitórias dela!!!!!! e o salário dela é lindo!!!!!!huahuahua!!!!!!

Tita disse...

Oh céus! E agora?!
Se for a Bela... como vão ficar as transferências?!
Se for aquela que era amiga dela no estágio, a "cadeirante", que legaaal!
Mas e se for a sogra dela!?
..A Débi? (freak out hehe)
auhauhauha quem seráaa???
Po, fiquei curiosa mesmo!
(mas eu acho que é a Bela!)
Beijooo!

mell disse...

aaii...
sabe q q eu acho?
q vai ser a bela, dae o caio vai se formar e eles irao casar...
dae vira a primeira transferencia e a bela vai abandonar tudo!
tudo nao.. ela tera o caio ao lado dela, q eh seu maior tesouro!

suhausuhasuhahushu
sera q fui longe demais?
ashuhusuhahsu =)

Li disse...

doli uma, doli duas, rs... e?
quem ganhou?
rsrsrs

ninguém hahahaha...
ou todo mundo de certa forma. rsrs.

beijocas!