24 de jul de 2007

Cap 51: Dilema

O início do ano para Caio tinha sido muito duro. A adaptação a novas regras e o entrosamento com os amigos trouxeram um alto grau de estresse e cansaço. Inevitavelmente, isso acabava desgastando a nossa relação. Por mais amor que existisse, a distância, a sensação de frustração a cada fim de semana que ele se prepara ansioso para vir e descobre que tomou uma punição por causa do cabelo grande ou do vinco da calça, somados ainda com a nova vida em outra cidade com os pais pintavam um quadro propício para pequenas brigas e desentendimentos que , felizmente, logo se resolviam.

O namoro com um cadete parece um atleta que todos os dias supera um limite, bate um recorde, se vê diante de mais um desafio. Às vezes, o que queremos é simplesmente não vencer nada, não provar força nenhuma para ninguém, só desejamos ser namoradas normais, com um relacionamento pacato. Mas, essa não é uma escolha que se possa fazer, simplesmente, estamos diante de uma situação que é aceitar ou largar.

E, como largar, se amamos a pessoa e não queremos deixá-la na mão justo neste momento que mais precisa de apoio? Foi assim que aprendi muitas lições e, também, amadureci bastante. As situações ganham outro contorno quando temos que abdicar daquilo que mais gostamos, estar fisicamente perto deles. Isso nos torna menos egocêntricas e nos mostra que o relacionamento, além de amor e sexo, é uma prova de amizade.

Se estar ao lado deles nos momentos ruins é necessário, nos bons é indispensável. Agora é a semana do Espadim, uma dessas ótimas datas que aliviam o peso de toda a batalha com uma linda cerimônia e uma festa.

Segundo Caio me explicou, Espadim é como se chama uma pequena espada, réplica da Espada de Duque de Caxias, que os cadetes recebem e levam consigo durante os quatro anos da academia militar. Neste dia da entrega, eles também ganham uma roupa de gala azul marinho, mais conhecida como azulão.

Ele, claro, estava extremamente ansioso para isso desde o começo. Mas, a vida é sempre feita de imprevistos e temos que lidar, dia-a-dia, com o imponderável. Dessa vez, não foi diferente. A mãe de Caio descobrira que estava com câncer no seio e precisou fazer uma cirurgia. Isso resultou na sua vinda para o Rio de Janeiro. Agora, em minha casa, ela se recupera para iniciar as sessões de quimioterapia.

Eu estou me redobrando ao máximo para cuidar dela e lhe oferecer todo o apoio necessário. Não tenho o direito de despender mais energia dos meus pais, que já foram muito generosos em acolhê-la aqui.

E este foi, justamente, um assunto que começou a me trazer um problema: como ir ao Espadim se a minha sogra precisa de meus cuidados?

_Eu sei que você está ansiosa para ir, minha filha, eu te entendo perfeitamente, mas eu tenho quatro clientes marcadas para esse dia. Será um ótimo dinheiro extra que a gente não pode dispensar, afinal, estamos tendo alguns gastos a mais com comida aqui...

_Tudo bem, mãe. Eu entendo... _ remexi na comida do prato. Desloquei o bife de um lado para o outro com o garfo. Eu não estava reclamando, mas não poderia esconder meu desapontamento.

_Eu já tinha falado para vocês que eu tenho a final do campeonato de futebol com o time aqui do bairro...

_Não se preocupe, pai._ interrompi-o. Por mais que, no fundo, fosse injusto eu perder a festa do Caio por causa de uma partida de futebol, meu pai não era a pessoa mais indicada para assumir o meu lugar. Ele não daria banho na dona Fabíola, nem saberia fazer seus curativos.

_Eu também não posso. _ Robertinho falou, se sentindo gente grande e participando da conversa.

Eu sorri. Ele, então, estava menos ainda preparado para aquilo.

O que eu falaria para o Caio? Será que ele entenderia meus motivos? O esperado era que sim, afinal, a “culpa” daquele entrave era sua mãe. Mas, eu temia que ele surtasse e não visse o meu lado.

Liguei para Débi, eu tinha que desabafar. Ela veio me encontrar aqui no prédio. Abracei-a com força.

_Como está, amiga? Que barra, hen? _ olhou-me, tentando captar só pela minha cara a situação.

_Nem me fale... _ passei a mão no cabelo e respirei profundamente.

_Você está com olheiras!

_Eu já nem reparo mais nisso. _sorri e sentamos em um banco de madeira no playground.

_Esse fardo está muito pesado para você, Bela.

_E eu não sei? _ franzi a testa.

_O Espadim está aí, é sábado e nós nem combinamos nada ainda! Você me falou que ia com aquele vestido amarelo...

_É sobre isso que quero falar...

_Ah! Não! Eu espero que seja sobre o vestido, porque pela sua cara...

_Eu não sei se vai dar para ir.

_Bela, sem chance! Não tem essa hipótese!

_Pior que tem...

_Não, a gente tem que dar um jeito!

_Como? Você vai ficar com a minha sogra?

_Sempre há um jeito para tudo, só temos que pensar. Seus pais não vão estar em casa?

_Não, estarão ocupados.

_Como?! Eles não sabem o quanto isso é importante para vocês dois?

_Sabem... Mas, coitados, estão se matando de trabalhar, não posso exigir mais deles.

_Ai, Bela, e o seu sogro?

_Ele vem, mas no domingo. Ele estava em missão. Alguém da família tem que estar lá para entregar o Espadim para o Caio.

_Ela não tem parentes, sei lá...?

_Tem, né? Mas, nas horas que a gente mais precisa, eles somem..._ fiz uma careta._Se ele não for, sabe quem vai entregar o Espadim para ele? Felícia, a própria.

_Não! Meu Deus, de jeito nenhum!

_Viu a dimensão do meu problema? _ encostei a cabeça na parede.

_Não pode ser, não me conformo. _Débi ficou pensativa como eu.

_Mas, já que isso não tem solução imediata, fala de você. E o Ribeiro? Vocês estão bem?

_Estamos sim. _ ela sorriu. _ Minha sogra é que parece que não gostou muito de mim. Para variar, as sogras... Eu fiz um pequeno churrasco lá em casa e convidei os pais dele. Sabe como é, né? Adoro dançar funk. Coloquei música, comecei a dançar com meus amigos e aí eles fizeram uma cara. Acho que perdi todos os pontos...

_É ruim não poder ser você mesma e as pessoas esperarem de nós outras expectativas.

_Oh, se é.

Quando Caio ligou aquela noite para falar com a mãe, me perguntou se eu estava feliz para a festa. Eu fiquei muda.

_Bela? Que foi? Não está animada? _ perguntou.

Autora: Li



*Blog da Bela e da Débi

* Comunidade do livro no orkut!

O livro ganhou o troféu "The Best!" do mês, no site A Gazeta dos Blogueiros!

7 comentários:

Nathy disse...

Poxa, tadinha da Bela :(
Ela não merece isso.


E sobre o blog estar no The Best, parabéns, Li.

Desculpa não falar mto, não estou bem hj.

Mais vim aqui, não podia deixar de vir.

Bjos, amo vc!

Tita disse...

Aaahh mulheke! Aliás, ahhh guria! Que guria from hell essa Felícia, como que pode... Ahhh ela tem que iiirrr!!! Eu tb to nessa sabe.. To dependendo de certas coisas pra poder ir pro espadim daqui a uns dias e eu quero mto iiiiir!
Que legaaal!! The VEEERY Best of them All! =D Parabéns viu! Merece meeesmo!
Beijoos

Plincesa Lucy disse...

Ahhhhhhhhhhhh, não!!! Nem que ela contrate uma enfermeira por um dia, peça até para o Gustavo (eita, desenterrei!) ou alguma outra pessoa cudiar dessa mulher, mas disso ela não pode abrir mão!!!

Quero dizer... seria um ato heróico e tudo o mais, mas ela já tá no crédito de atos heróicos (pra mim, fazer o curativo sem qualquer expressão no rosto já está no crédito para o resto da vida!!!).

Mas, tá... *ansiosa*, vamos ver o que tem pela frente.

P.S.: eu não pude ir ao espadim... (-_-)'

Paula disse...

Ai meus Deus!!!
Tanto tempo sem vim aqui e tanta novidades!!!
Primeiro parabens pelo the best!!
Ah Li!!Voce é muito boa!!!
Segundo...que isso!! Perder o espadim é muito ruim...Tem que ter um jeito...sua sogra te deve muito...fazer o que vc faz por ela, tem que gostar muito da pessoa ou gostar da pessoa que mais gosta dessa pessoa, no caso do Caio...fale pro Caio o que esta acontecendo...tenho certeza que ele vai pensar em algo!Quanto a Felicia...ela vai ter a cahance da vida dela de arrumar um cadete...o que mais vai ter no espadim...voce falaondo do espadim esta me dando muita tristeza...meu namoro começou no espadim dele e agora que terminamos, um mes antes do espadim do meu amigo, nos dois prometemos irmos juntos na festa que seria nos 1 ano de namoro...porq isso ninguem pode apagar....O futuro ninguem sabe...mas deixar as pessoas que agente ama ir embora, sem que elas saibam o quando foi e é importante em nossas vida , não pode!

Sarah disse...

Caraca cada dia q passa eu amo mais ainda este livro!!!
mt bom msm Li vc ta de parabens!!!!
esse livro esta me fazendo encarar essa distancia com mais segurança!!!
Axo q vcs me entendem né?
bjão Li ve se nao demora mt p/ att esse livro lindo!!!!

Li disse...

Meninas, obrigada pelo carinho.
E por causa de um comentário aqui gostei de uma sugestão...
Hummmm...
Legal.
Mas não vou dizer o que é hahaha
bEijãoooooooooo
Eu já disse que amo vcs lindas?
Amo muuuito
moram todas aqui no coração da Li cada uma em seu puf. rs

aninha disse...

ah naum Dona li!!! da um jeito!!!! a bela naum pode perder o espadim!!!!!rsrrsr!!!!!!