23 de jul de 2007

Cap 50: Uma visitinha

A campainha tocou e eu suspirei fundo. Não havia ninguém em casa para atender. Meu irmão estava na rua jogando bola, minha mãe tinha saído para visitar uma cliente e meu pai fora no barbeiro fazer o cabelo. Que ótimo! Balancei as mãos no ar, para me livrar da espuma do sabão e lavei as mãos na água corrente do tanque.

Não era fácil toda hora colocar as roupas de cama e as toalhas na máquina para manter tudo sempre limpo para minha sogra. Passei o braço na testa suada e sequei o pé no tapete antes de passar pela cozinha.

No interfone o porteiro me avisou que era uma visita para minha sogra. Eu estranhei. Quem seria? O pai de Caio estava em missão e meu namorado preso em Resende, porque pegara serviço no domingo. Quem viria ver a dona Fabíola naquele sábado?

_Ela disse que é a sobrinha dela._ disse o porteiro.

Eu dei um leve riso de sarcasmo. Não podia ser. Eu não merecia aquilo. Se ela morasse na esquina, eu diria para dar meia volta e ir para o raio que a partisse. Mas Felícia que morava em São Paulo devia estar de carro com os pais de passagem pelo Rio.

_Pode deixar subir. _ falei de má vontade.

Caminhei até a porta e abri. A primeira reação da mãe da querida priminha do Caio foi me olhar de cima abaixo. Eu realmente estava deprimente. Com um short jeans muito ferrado e desfiado, uma camisa do ano passado da Copa do Brasil amarela da Promoção do Guaraná Antártica e o cabelo desgrenhado em um coque preso por uma caneta Bic. Só faltou um celular na cintura para ser a sósia da Marinete, do Programa “A diarista”.

_Oi, querida, estamos incomodando?

Será que ela queria realmente a verdade?

_Entrem. _ estendi a mão no ar, apontando para o interior da sala. A última a passar por mim foi Felícia, que ofereceu seu falso ar cândido.

Os três ficaram me olhando, com aquele sorriso de comercial de pasta de dente e eu com as mãos na cintura tentando realizar a situação. Será que eles ficariam para almoçar e estenderiam a visita pela tarde? Eu não fizera comida para tanta gente? Se minha mãe chegasse ia ficar brava, ela já estava tendo muitos gastos.

_Nós viemos visitar a Fabíola. _ o pai de Felícia falou, quebrando o silêncio.

_Claro! Eu vou falar que vocês estão aqui. _ eu disse e passei por eles.

Abri a porta do quarto e encontrei minha sogra deitada, vendo a televisão que nós tínhamos tirado do quarto do meu irmão e colocado ali para ela se entreter. Passava o programa Estrelas da Angélica, que entrevistava o Zeca Pagodinho.

_A senhora tem visita. _ falei. _Sua sobrinha e a família dela estão aí.

_Ah! Que bom! _ sorriu.

Eu coloquei a cabeça no corredor e fiz sinal para que eles viessem.

Com todos ali no quarto, me senti sobrando. Falei que ficassem a vontade, porque eu iria fazer minhas tarefas. Terminei de colocar minhas roupas na corda e percebi que eles não estavam pensando em sair. Eu não podia enrolar mais, dona Fabíola precisava comer para tomar seus remédios.

Eu, então, perguntei se eles queriam almoçar, torcendo para que a resposta fosse não. E eles anunciaram que já haviam comido fora e eu agradeci silenciosamente a Deus, porque eu não queria esquentar mais a barriga no fogão para alimentar aquela família não.

_Está na hora do seu banho. _ falei para minha sogra.

_Se eu puder ajudar em alguma coisa. _ a mulher ofereceu-se toda sorridente.

Olhei-a de cima abaixo, em suas roupas de perua, calça jeans enfiada na bota de couro e o cabelo armado de tanto laquê. Refleti se ela tinha idéia do que era aquela tarefa, do malabarismo que significava dar um banho sem molhar a operação.

_A senhora quem sabe. _ olhei para minha sogra, com uma voz enfadonha.

_Não precisa, você ficará molhada. _ Minha sogra me deu o braço para sentar. Havia todo um jeito de suspendê-la. A outra se precipitou para ajudar, mas a mãe de Caio pediu que eu o fizesse. Eu, então, coloquei a mão por debaixo de sua cabeça, depois uma mão sobre seu outro braço e em um movimento coordenado de forças a fiz sentar-se, como se fosse um passo perfeito de dança. Essa foi uma das coisas que observei os enfermeiros fazerem, enquanto estava no hospital.

Eles aguardaram que ela voltasse e na hora de fazer os curativos, apenas o pai de Felícia saiu do quarto. As outras duas ficaram observando, nitidamente alteradas com o sangue, os pontos, a falta do seio. Eu já repetira aquela rotina tantas vezes, que já estava mais segura.

_O Espadim do Caio está chegando. _ Felícia tocou no assunto, tentando amenizar a situação com algum diálogo. Eu procurei não mostrar qualquer reação, continuei passando o remédio sobre os pontos. _Nós paramos em Resende e fomos vê-lo. Almoçamos com ele. Ele está preso lá, né? Coitado, pegou serviço amanhã.

Aquilo doeu em mim. Dona Fabíola olhou-me nos olhos, mas eu desviei os meus.

_Ele nos deus os convites da festa.

Ele deu os convites da festa? Eu virei-me e as olhei. Eu não havia ganhado o meu ainda!

_Você acha que estará em condições de ir, titia?

Claro, sua jamanta! Você vai levá-la para andar em um sol quente e carregar a sonda pela cordinha como se fosse um cachorrinho? Depois o quê, você vai aguardá-la com um caixão aberto ao atravessar o portão para empacotar de vez?

_Acho que não, querida. _ ela respondeu com voz triste. _Perderei esse grande dia.

_E você? Vai? _ perguntou, se dirigindo agora a mim.

_Não se preocupe, ele terá com quem dançar a valsa das namoradas. _ respondi, retirando com força as luvas das mãos. Aquele quarto já estava pequeno demais para nós quatro.

O clima ficou ruim e felizmente eles se tocaram e deram o fora. Dona Fabíola perguntou se eu tinha ficado chateada.

_Eu? _ apontei para o meu próprio peito. _ Que isso?! Eu adoro a sua sobrinha, aquele doce de pessoa. _ perdi a paciência e minha voz saiu com muita raiva.

_Eles são da família, eu não podia deixar de convidá-los para...

_Você pode convidar quem quiser, eu não importo._ dei de ombros. _ Eu sei muito bem onde é o meu lugar e o meu lugar é ao lado do seu filho. Eu sou a namorada agora e ninguém vai tirá-lo de mim, porque eu sou mulher suficiente para garantir o meu posto. E se qualquer uma atravessar o meu caminho eu não vou abdicar de nenhum método para tirá-la da reta!

_ Ela é uma boa moça, ela nunca ia querer...

_Dona Fabíola, eu acredito que os remédios ainda não tenham afetado a sua razão. Então, eu vou lhe dizer o que eu enxergo e espero que a senhora não seja tão ingênua. Eu vejo alguém atravessando o meu caminho e querendo se aparecer para o seu filho. Alguém que invade o meu orkut para me bisbilhotar e que fica mandando recadinhos melosos para o meu namorado. Uma mulher que se toca e se dá ao respeito não faz esse papel. Eu não quero ficar amiguinha dela, eu só espero não ter que conviver com ela, só isso. Entendeu bem?

_Você pensa que eu não sofro? Eu não vou ao Espadim. _ mudou totalmente de assunto.

_Eu lamento realmente. _respirei fundo. _ A senhora perderá uma festa, mas ganhará a sua vida. E vai ficar boa. Agora eu vou fazer um prato para o meu irmão e colocar no microondas, vou chamá-lo para almoçar. Licença.

Eu já podia prever que o baile que chegava me reservava uma batalha.

Autora: Li



*Blog da Bela e da Débi

* Comunidade do livro no orkut!

O livro ganhou o troféu "The Best!" do mês, no site A Gazeta dos Blogueiros!

9 comentários:

Nathy disse...

Caraca, eu sou fã da Belinha!
hauahauahaa, ela é demais!

Bjos!

Anônimo disse...

Caramba, a Bela tem sido muito forte mesmo. Estou gostando tanto da atitude dela! Só espero que ela segure as pontas porque não vai adiantar brigar com a garota. Ela tem que ser esperta!!!

Se a garota faz papel de cândida, pura e casta! Ela tem que ficar na dela, pra que ninguém diga que ela implica à toa com a garota "tão santa". Tem que ser esperta e tratar bem. Já ouvi dizer que "amigos perto, inimigos, mais perto ainda", pra que você saiba o que se passa com ele e também pra você estar preparado e poder fiscalizá-lo, entende?

Ela é boazinha? Seja boazinha o triplo! Eu não gosto de falsidade e nem de hipocrisia. Eu, particularmente, sinceramente dou uma chance. Sou boa demais às vezes, mas eu prefiro agir assim porque Deus quer que busquemos a santidade. E ódio não é um sentimento cristão. Eu trato bem, converso numa boa, não fico maquinando nada contra a pessoa. Apenas, observo e espero para ver do que ela é capaz.

Não sou boa observadora de detalhes em pinturas, nem detalhes da roupa de alguém, muito menos quando estou super feliz e à vontade para ser eu mesma, não observo nada nem à um palmo diante do meu nariz!!! Mas, quando estou numa situação como a da Bela, tsc... sou mais observadora do que sogra encrenqueira! E eu limpo minha mente de qualquer coisa, deixando apenas as informações entrarem. E é por isso que eu não planejo nada contra ela, porque eu não ajo contra ninguém, apenas me defendo. E, aliás, quanto mais inofensiva eu me mantiver, de verdade, mais o meu namorado estará pronto para me defender! \o/

(ish... esse comentário ficou tão legal - convencida, neh? - que eu vou postar no blog da Bela também!!! rsss)

Gazeta dos Blogueiros disse...

Parabéns!
A Gazeta dos Blogueiros tem a honra de avisar que seu blog é vencedor do prêmio The Best!

Está entre os 3 melhores blogs da net. Lembrando que é essencial que atualize seu blog nesse

período de patrocínio.
*Prêmios: Troféu The Best 2006 e; 1 mês de patrocínio grátis (o link do seu blog permanecerá

na página principal da Gazeta dos Blogueiros por um mês).

Li disse...

Gente!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
EEEEEEEEEEEEEEEEEEHHHHHHHHHHHHHHHH
MEU BLOG TÁ COMO DESTAQUE DO MÊS NA GAZETA DOS BLOGUEIROSSSSS


AAAAAAAAHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH
QUE MÁXIMOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO

PASSEM LÁ E VOTEM DIZENDO QUE ELE É BOM VAIIII!!!! EEEHHHHHH

http://blogueiros.com/home/

aninha disse...

pode deixar que passarei Li!!!! mas falando do livro, se eu fosse a bela tinha cassetado essa Felicia de tanta porrada... com o ótimo humor que eu ando uiltimamente essa garota naum sairia viva da minha casa!!!

Anônimo disse...

Li!
Cadê a Débi?

Jéssi disse...

LI... ta lindo.... ela Fabiula vai se tocar q aquela esmilinguida é uma vaca.... ghhuahuahauhauhaa;;;
ta muito bom Li...
beijos

titta_* disse...

Parabéns,Li!! ^^
não precisa ir longe pra pcb que o livro é mesmo mto legal...passarei lá no "http://blogueiros.com/home/
" pra conferir!!
tou adorando cada capítulo mais! #)

e mto ansiosa pelo espadim!
bjo =***

Li disse...

Obrigada! Que lindo!!!!!!!!! :)

Beijos!!!

Li