3 de jul de 2007

Cap 43: Tempos de paz... ou quase

Felizmente no amor militar é chegado o momento de trégua a cada férias. Após agüentar o primeiro campo e sua falta de comunicação e o início tumultuado do ano que dificultam as ligações, chegam os tempos de paz.

Caio e eu decidimos curtir a calma da fazenda de sua avó, lá onde começamos e recomeçamos nosso amor. Precisávamos muito desta oportunidade para renovar nossas forças.

Escorada na porteira, eu o via cavalgar com o cavalo que seu avô deixara para ele. Seus músculos mais fortes sobre a camisa azul marinho de mangas compridas me mostravam que ele estava modificando-se. Era visível como se tornava mais bonito. As pernas torneadas se apertavam na calça jeans clara.

Uma hora ele sempre cansava de matar a saudade de cavalgar e eu só estava esperando para este instante chegar. Caio desceu do cavalo, puxou-o pelas rédeas até mim e eu pude ouvir o barulho da respiração do animal saindo forte por suas narinas.

_Ele é muito bonito... _comentei.
_Mais que o dono? _Caio sorriu.
_O dono é muito convencido. _ alfinetei.

Ele, então, abriu a porteira e veio me abraçar todo suado. Fiz um ar de rejeição.
_Ah! Vai dizer que eu estou porquinho? _ riu.
_E não está? _ ri também, envolvendo seu pescoço.
_Tudo bem, então, eu vou tomar um belo banho e aí eu quero ver se vai continuar me esnobando.
_Caio, eu te amo muito. E nem sei como pude demorar tanto tempo para perceber que você era o cara certo para estar comigo.
_As louras são mais lentas mesmo.
_Ahhh! Seu... _ dei-lhe uns tapinhas no braço.
_Brincadeirinha, Bela. _ segurou meus pulsos. _Tô brincando.
_Hum... Acho bom. _ sorri e ele me beijou a boca._ Vamos entrar? Estou esfomeado.
_Vamos... _ envolvi sua cintura e caminhamos pela relva alta até a entrada do casarão.

Assim que chegamos na varanda, encontramos um outro casal de pombinhos apaixonados. Débi e Ribeiro aceitaram passar as férias com a gente na fazenda e curtir um pouco do campo.

_Vejo que o amor está no ar... _ eu comentei, chamando a atenção deles, que pararam de se beijar. Débi apoiou a cabeça no peito do namorado e sorriu tímida para nós.

_Esse lugar é mágico. _ comentou minha amiga.
_Oh! Se é... _olhei para Caio, que me abraçava por trás.

Ouvimos uma buzina de carro e olhamos. Era o carro dos pais de Caio, sabíamos que eles viriam nos encontrar depois e passar parte das duas semanas conosco. Só não tínhamos conhecimento que trariam uma indesejada companhia.

_Oi, gente. _ a prima de Caio, sua exzinha, em carne e osso.

_O que ela está fazendo aqui? _ perguntei entre os dentes.
_Não sei... _Caio me abraçou mais forte. _Deve ter se oferecido para vir com meus pais, eu aposto. Ela não se enxerga? Não tem amor próprio?

Pelo menos Caio estava tão insatisfeito quanto eu, já era um sinal de que a situação não se resumia a uma pura pinimba de ciúme minha.

_Prazer, eu me chamo Felícia. _ ela deu dois beijinhos em Ribeiro e parece que pelo olhar fuzilante de Débi, ela ganhara mais uma inimiga.

_Felícia não parece nome de bruxa? _ resmunguei e como só Caio ouviu, ele conteve o riso.

_E aí, priminho, tem quarto para mais uma aqui? _perguntou sorrindo para ele e balançando sua bolsinha pequena no ar, na ponta dos dedos.

_Lá no estábulo deve ter... _ respondi.
_Não sei, fale com a minha avó. _ Caio deu de ombros e me puxou pela mão para dentro.

Débi me encontrou na cozinha beliscando uma asa de galinha assada. Sentou-se à mesa comigo.

_Acredita que a aquela garota está agora na sala falando de religião com o Ribeiro?
_Golpe baixo. _ suspirei. _Típico dela. _balancei a cabeça para os lados._Cuidado para ela não querer roubar seu namorado, hen? _avisei apontando com o ossinho no ar.
_Pior que eu não tenho nem como entrar no assunto, Bela. Eles estão falando umas coisas que para mim soam como grego! E pior, estão se divertindo! No maior modelo chave-fechadura.
_Isso tinha que ter dedo da vaquinha da minha sogra. Aquela cascavel vai levá-la até o altar para me apurrinhar? _lambi meus dedos oleosos.
_Uma vaca ou uma cobra? _Débi riu.
_Eu sei lá. Uma coisa trangênica. Cabeça de vaca, cascalho de cobra. _ ri também. _Débi, não deixe essa ridícula ficar soltando pena para cima do seu namorado.
_Como? Chego lá e falo o quê?_ ela desesperou-se.
_Pelo visto eu vou ter que entrar em ação. _ levantei-me e lavei a mão com o sabão pastoso que havia em um pequeno pote amarelo em cima da pia.
_O que pretende fazer? _ Débi ficou curiosa e apreensiva.
_Ora, dar um chega para lá naquela quenga de araque. _ resumi secando minha mão no pano de prato pendurado no encosto da cadeira.

Caminhei até a sala com passos firmes e cheguei por trás de Ribeiro e bati no seu ombro. Instantaneamente Felícia parou de falar.

_Estamos planejando namorar lá fora, vendo as estrelas. Caio e eu, você e Débi. Vamos?
_Tá. _ ele aceitou e olhou pra Felícia, procurando uma solução para o que fazer com ela.
_Você pode ficar assistindo TV, afinal, não acredito que queira ficar de candelabro segurando vela. _ destinei-lhe um falso sorriso.
_Depois a gente termina a conversa. _Ribeiro tentou ser educado e se levantou.
O olhar de Débi para ele era de pura decepção. Nem aceitou sua mão e caminhou na frente sozinha para a varanda.

Segurei o braço de Ribeiro, quando ele caminhava para a porta e falei-lhe baixo, visto que não estávamos em uma distância segura que impedisse completamente que Felícia ouvisse.

_Acho melhor você dar menos atenção para essa aí. _olhei para o lado. _Não é justo com a sua namorada, fazê-la se deparar com uma ceninha dessas. Se toca, Ribeiro. Não vê que a Débi ficou magoada de você estar dando atenção para uma outra?

_Que isso! Só estávamos falando de religião, de coisas afins.
_Ok, você pode falar de religião com todo mundo. Menos com uma garota que é ex do seu amigo e está na cara que chegou aqui para atazanar nossas vidas. Ela dá em cima de qualquer um. Você não é mais um adolescente para ser tão ingênuo. Por isso estou te mandando a real.

_Está acontecendo alguma coisa? _Caio chegou por trás de mim, todo cheiroso e tomado banho.
_Não, amor. Só estou dando um toque com seu amigo, para ele não cair no falso feitiço do canto da sereia. Isso se ele não quiser perder uma garota verdadeiramente legal. _deixei claro que minha conversa com Ribeiro não era algo que eu tivesse que esconder. Eu era uma pessoa agora muito franca e sem papas na língua. Principalmente na hora de defender minha amiga e sua felicidade.

_Gente, vamos abaixar os ânimos. Minha avó está colocando os pratos na mesa. _Caio anunciou.
_Vai lá ver a Débi e bate um “papo afim” com quem te ama de verdade. _ aconselhei para Ribeiro, que abaixou a cabeça e seguiu minhas ordens. Ele percebera que tinha dado uma baita mancada.

_Nunca te vi tão firme. _Caio comentou, me envolvendo com o braço pela cintura.
_Quando se sabe o que é perder o amor uma vez, a gente muda muito nossa cabeça. _ disse-lhe._ Não quero que nossos amigos sintam isso.

_É verdade... _ ele concordou comigo e vi um brilhinho de orgulho de mim dentro do seu olho.

No quarto, à noite, Débi me contou como ficara com seu namorado, depois que ele fora encontrá-la na varanda. Enrolei-me na manta e me pus em posição de escuta, deitada no travesseiro.

_Eu disse para ele que tinha ficado com ciúme. Acha que fiz mal, Bela?
_Não! Sinal de que gosta dele e que deixa claro seus sentimentos.
_Pois bem. Ele pediu desculpa e ficamos bem.
_Que bom._ fiquei mais aliviada.
_Depois do jantar aconteceu uma coisa.
_O quê? _perguntei curiosa.
_Fomos ver as estrelas lá fora, caminhamos um pouco. Ele começou a me abraçar a me beijar. _Débi teatralizou a cena com o seu travesseiro, o que me provocou boas risadas. _Aí, ele foi ficando quente, quente.
_Ai meu Deus!
_E disse que estava sentindo coisas mais fortes por mim. Ai, que lindoooo! _ ela caiu de costas na cama e ficou olhando para o teto. _Será que ele já pensa em...
_Não sei se já pensa, mas que está sentindo que é difícil namorar sem ser por completo ah, deve estar. Não apressa, deixa acontecer.
_É...Foi o que algumas meninas me deram a dica lá no nosso blog.
_Nossa, temos que atualizar amanhã. Tem um computador aqui conectado na Internet, temos que fazer isso. Mas só amanhã, estou exausta.
_Débi, essa garota vai ficar quanto tempo aqui?
_Eu queria saber quanto tempo ela vai ficar moscando a minha sopa!_ resmunguei.

Autora: Li



*Blog da Bela e da Débi

* Comunidade do livro no orkut!

O livro ganhou o troféu "The Best!" do mês, no site A Gazeta dos Blogueiros!

8 comentários:

li disse...

Nossa, meninas, to c muita dor depois da cirurgia que fiz. tirei dois cizos, faltam dois. tá f... rs.
rezem por mim para eu ficar boa.
fiz com muito carinho o capítulo de hoje.

Jéssi disse...

Ou Li..... vc vai melhorar vc vai ver..... ta muito bom essecap.... ai q priminha mais chata..... tb tinha uma prima dessa no começo do meu namoro... mas ela logo se mancou....
beijos

Nathy disse...

Iiii miga, relaxa... isso vai passar, to rezando por vc, pode deixar, viu?!

ps. Adoreiiiiiiiiiiiiiiiii hj,
essa menina é uma mala mesmo!

ps². Miga, vc não deu nunca mais noticias do Gustavo... queria saber se ele ta bem... rs

Bjoos!!

Anônimo disse...

Liiiiiii!!!!!!!!! aiiiii!!!!!!1 caramba!!! a cada capítulo sinto-me mais e mais no lugar da Bela, quero dizer... detalhes tão pequenos que me fazem sentir as agulhadas da estória toda!!!

Ah!!!!! q perua, sirigaita essa ex!!! q ódio!!! só pra atrapalhar as coisas!!! Mas a Bela vai superar isso!!! Linda, loira e no salto!!! \o/

ah Li, a dor vai passar. Sabe o q eu faço quando dói? Finjo q não é comigo (meu love me aconselha isso sempre) e acredite: dá certo! rsss... se concentre em outras coisas (assim, eu sei q dói mto, aceite essas palavras como forma de ânimo, não precisa levar a sério o significado, mas q deu certo comigo, deu em momentos de dor rss)

Liiiiii bjo grande grande grande pra vc!!! \o/

fernanda disse...

bom ning merece essa ex neh..e essa sogra tb,...kkkk
isso sim q eh visita inesperada a tia dela viurou fichinha...kkkkk
bom mais a bela está agindo certinho..superioridade...soh com umas tiradas ótimas..e o caio tb está agindo direitinho....
bjs li..melhorar viu!!!

aninha disse...

afffff!!!!!! manda essa ex ir a pqp!! fala sério!!!!! bjus

Aninha Barreto disse...

Li amiga!!!!! eu te liguei ta!!! acho que seu irmão te avisou!!!! vim avisar que tem capitulo novo no meu livro! Tão iguais e tão diferentes - um amor militar na maturidade

www.taoiguaisetaodiferentes.blogspot.com

lumaaa disse...

Mas fala sério realmente a visita da Tia dela virou pinto qdo esse presente de grego apareceu nas férias da Belinha ninguém merece hein...
Garotinha sem noção essaaa!!! Infernooo..................