9 de jun de 2007

Capítulo 26: No limite

Trilha sonora da cena (clique aqui)


A dona da agência olhou para a foto no porta-retrato da mesa e depois para mim.
_É a minha filha. Você já a deve ter visto em alguma campanha.
_É, pode ser..._ concordei, sem denotar muita surpresa.
Sai da sala e novamente encontrei com a sua secretária, a mulher se chamava Tereza e usava um corte de cabelo bem curto, semelhante ao antigo visual de Fátima Bernardes, a apresentadora do Jornal Nacional. Enquanto eu andava atrás dela, observava sua elegância no terninho cinza escuro e nos saltos altos.
Entramos em sua sala de vidro. Ela ficou a olhar alguma coisa no computador. Nesse ínterim, um turbilhão de pensamentos se cruzavam na minha cabeça.
Então, Gustavo namorara a filha da dona da agência. Será que isso motivara sua saída da empresa?
_Você é uma garota de muita sorte! _ a voz de Teresa me trouxe de volta a noção de realidade.
_Já me disseram isso antes. _ sorri.
_Muitas meninas fariam qualquer loucura para estarem sentadas nesta cadeira.
Apesar da super dimensão que davam aquilo tudo, eu encarava apenas como um trabalho, não conseguia enxergar como uma missão de vida.
_Tudo aconteceu tão rápido. De repente, eu estava no shopping e logo em seguida em uma campanha de lingerie, depois em eventos e agora aqui!
_É! Há raríssimas exceções que são assim mesmo, acontecem em um pulo.
_Eu que o diga! Desde que conheci o Gustavo...
_Gustavo?
_É._ respondi, percebendo que ela o conhecia. _ Ele fez estágio aqui.
_Estágio? _ ela riu como se eu tivesse cometido a boçalidade de errar a capital do Brasil para Buenos Aires. _Não seja humilde! Ele era um dos nossos melhores fotógrafos. _ suspirou. _ Gustavo não nasceu com dois olhos, mas com duas lentes! Aquele garoto é um pequeno gênio da criação. _ sua voz soou muito saudosista.
_Ele é uma boa pessoa. _ acrescentei, me limitando a poucos elogios, não queria dizer que era sua namorada._Por que ele saiu daqui?
_... _ ela concentrou-se no que estava vendo no seu computador e não me respondeu.
_Soube que ele teve alguma coisa com a filha dela... _ referi-me a chefe de Tereza. Queria que ela se desse conta de que eu estava a par da situação, de modo que nada era novidade para mim.
_Eu ajudei tanto aqueles dois..._ sorriu, se pondo no lugar de fada madrinha. _ Arrisquei meu emprego, isso sim! _ levantou as sobrancelhas. _ A Verônica era uma menina muito tímida, que viva em casa, cheia de problemas, se achando feia. Até que a mãe dela chamou Gustavo para fotografar o aniversário da Verônica. Só que o Gustavo, com aquele jeito dele de atrair a atenção e conquistar todo mundo, ficou amigo dela e eles se apaixonaram.Ele fez muitas fotos da Verônica e, quando vimos, tínhamos uma das mais lindas modelos conosco.
_E o amor deles não deu certo?
_Ah! A mãe dela mandou ela para fora e depois deu um jeito de não renovar o contrato do Gustavo. Não tinha uma pessoa aqui dentro que não gostasse dele!
_Mas por que isso, Meu Deus? Se ele é tão querido!?
_De repente, Verônica virou um furacão e Gustavo era só um peixinho nesse mar de grandes tubarões. Não era bem isso que a mãe dela queria... Enfim, estamos perdendo nosso tempo de trabalho e eu já falei muita coisa, hen?!
_Eu já vi uma foto dela, é muito linda mesmo.
_Sim, ela é. Mas bonito mesmo é o amor deles. Não duvido nada que quando ela chegar eles dêem um jeito de ficarem juntos sem ninguém saber! A gente não consegue segurar duas pessoas que se amam!

Se Tereza soubesse que por ironia do destino estava falando com a namorada do Gustavo, acho que ela estaria metida na situação mais embaraçosa da sua vida.

Aquelas revelações não me fizeram nada bem. Eu me sentia empatando a felicidade de duas pessoas. De repente, começava a cair na realidade.

Vieram à minha cabeça as palavras das amigas que me visitavam no meu blog¹:

“_Não adianta vc simplesmente dizer "Caio não faz mais parte da minha vida" se o seu coração diz o contrário”;

“_vc ama o Caio, mas no momento vcs estão separados certo ?! então esquece o passado do Gustavo... vc citou a possibilidade do gustavo estar usando vc para esquecer outra... mas já parou pra pensar que vc também está usando o Gustavo numa tentativa que nós sabemos que é quase inútil ?! quando a gente ama alguém de verdade Bela, não é tão fácil de esquecer...”;

“_naum sei se eh a hora certa de vc começar um namoro, namoro! vc 'acabou' de sair de um e jah vai mergulhar de cabeça em outro?
serah q vc naum precisa de um tempo pra vc, pra vc driblar seus sentimentos em relaçao ao caio e ateh mesmo em relaçao ao gustavo?”;

Gustavo e eu estávamos nos enganando. Até quando íamos fingir para nossos corações? Eu estava certa que não tinha como ir adiante. Só não poderia provocar algum rompimento bem próximo as semanas de provas do vestibular, isso abalaria meu emocional.

Já me bastava ter que engolir que Caio estava de namoradinha nova em sua festa de formatura sem mim.

As provas conseguiram me absorver por completo e deixar meu coração em modo de espera, mas quando elas acabaram eu fiquei de cara a cara com a decisão.

Estava no apartamento de Gustavo bebendo um vinho e comemorando nossas férias. 0lhei para ele e inevitavelmente fiquei imaginando como uma outra mulher poderia amá-lo muito mais que eu.

_Bela, vamos para o quarto nos curtir?... _ ele beijou meu pescoço. _ Eu já tirei o retrato de lá...
_Guto, não vai dar. _afastei-o delicadamente com as mãos e seu peito.
_Por quê?
_Gu, eu gosto muito de você, mas...
_Não termina. _ ele me interrompeu e respirou profundamente. _ Me poupe do final. _ riu ironicamente. _Eu já sei que está adiando isso.
_Desculpe, me desculpe mesmo.
_Venho percebendo que está muito fria comigo...
_Guto, eu não quero transar com você, porque eu não quero me envolver mais. Isso não está certo.
_Por que você tem que levar a vida tão a sério?
_Você a tirou da parede, mas não a tirou do coração... _ falei-lhe docemente e confesso sinceramente que não estava com raiva dele. Apenas sentia pena de estar terminando daquela maneira.
_..._ ele não discordou. _ Quem sabe o tempo...
_Gustavo, não quero ser um estepe. Enquanto você não a esquece eu vou ajudando... Não é bem assim que deve ser...
_Ou será que você também não conseguiu esquecer seu ex-namorado?
_Bom, nem que eu estivesse, ele está namorando... _ bebi o resto do vinho da taça.
_E a Verônica está tão longe.
_Não daqui a alguns dias... Sabemos disso.
_Como você...? _ franziu a testa.
_O que importa agora é que precisamos colocar os nossos caminhos voltados para a direção certa e sabemos bem para onde eles apontam.
_É a decisão mais madura que já te vi tomar. _ ele elogiou.
_ Eu sei que você foi muito importante para mim, me abrindo portas, janelas... _ ri. _... para um mundo novo. Mas por melhor e mais perfeito que seja, não basta para me fazer feliz. Da mesma maneira, que eu não sou sua Verônica...
_Nossa! _ ele riu aliviado. _ Não sabe o quanto eu estava tentando me fazer acreditar que era. E todas as vezes que me pegava com saudade me condenava...
_Comigo não era diferente.
_E agora?_ ele perguntou.
_E agora você me leva para casa de volta... _ peguei em sua mão e dei dois tapinhas.
_Ok. _ apertou minha mão.

Nós sabíamos que tínhamos tentado, mas não adianta empurrar um amor para dentro do coração se só ele abre a porta para quem quer que entre.

Entrei no carro de Gustavo e me senti aliviada, acho que ele também. Não precisávamos mais representar. Encarar a realidade é muito difícil, mas é o certo a se fazer. Sendo assim, tudo voltava ao lugar dentro de nós. Eu poderia até não ter o Caio para mim, mas finalmente estava sendo sincera comigo mesma.

Gustavo foi cortado por um carro bruscamente. Ele não se contentou e acelerou para ver se ficava ao lado do motorista imprudente para dar-lhe uma bronca.

_Deixa isso para lá. _ pedi, percebendo que ele estava dominado pela ira.

_Ele queria nos matar? _ bradou e pisou no acelerador.

_Gustavo, por favor! _ implorei e toquei no seu braço.

Instantaneamente lembrei do meu sonho. Senti um arrepio e meus cabelos da nuca se eriçaram.

_Gustavo, pára! _ pedi muitíssimo nervosa.

Parece que tudo se sucedeu em câmera lenta. Um ônibus na contra-mão fazia uma ultrapassagem proibida, quando percebeu que seria impossível frear a tempo. Ele ainda buzinou, mas só pude levantar os braços e proteger meu rosto. Os vidros da frente se esfarelaram por cima de mim como uma chuva.

Mergulhei em um grande túnel de luz e não mais senti o meu corpo. Não havia mais dor, nem sensação de angústia, medo ou qualquer sentimento ruim. Apenas uma paz muito grande.

A próxima imagem que vi, ao sair do túnel de luz, foram os bombeiros imobilizando o meu corpo na maca. Eu podia ouvir suas vozes fazendo perguntas sobre minha pressão, meus sinais de vida, mas eles não conseguiam me ouvir. E o mais incrível é que eu me via do lado de fora do meu corpo. Como uma terceira pessoa!

Muitos curiosos se acotovelavam ao redor dos veículos amassados e destruídos. Meu sangue sujou o asfalto. Eu queria poder dizer que estava bem, mas não conseguia, porque não estava deitada no meu corpo. Ninguém me escutava! Por quê?

Eu não entendia, o que estava acontecendo?


Nota1:Blog da Bela

-----***-----

--->Participe: Comunidade do livro no orkut!

8 comentários:

Nathy disse...

Caraca, peguei o cap. fresquinhoooo, acabando de sair do forno, hahaha!

Liiiii, vc matou a Bela?!?!?!?!!?!?!? Meu Deus...
Alias, o Gustavo matou a Bela?! não não... ela deve estar em coma, claro, vc não mataria ela no inicio da historia, ahaaiahaha!

Q emocionante isso...
vai ser uma bela reconciliação pra Bela e o Caio qdo ele for visitar ela no hospital (pq claro, vc não mataria a Bela, ahaaiahauaha)

Bjos, te amo!

Li disse...

:) Por que não, Nathy?!!:)

Nossa, hoje tive um dia tão cansativo, mas estava ansiosa para escrever. Se para vocês é bom ler, para mim é quase um dever escrever. Muito bom mesmo!
Só não é dever, porque faço com muito prazer!

Meninas, amooo muito tudo isso!

Ah! Podem fazer suas apostas hen?!

A Nathy já deu a primeira!

Paula disse...

Ah!
A bela vai viver um quase morte!
Não lembro o nome que os espiritas dão a isso! Mas dissem que uma das melhores sensaçoes!
Voce nao mataria a Bela agora, ela nao cumpriu sua missão!
So espero que o guto não tenha morrido...porq parece que ele que vai ajuda a Bela na sua tarefa!
alem do mais eu torço pelo amor do guto com a veronica!
Mas a bela ainda nao pode voltar com o caio...ele tem perceber a importancia dela !

Elaine Cavalcanti: disse...

Acho que quando ele perceber que quase a perdeu de novo, talvez sua ficha comece a cair. Ow, o Caio devia visitar a bela no hospital!!! Mata ela não!kkkkkkkkkkkkk!
To adorando!
beijos! ;@@

mell disse...

nossaa.. quantas informaçoes pra um dia soh! \o/ \o/

tah demais isso aki =)

tipow... a belinha naum vai morrer! ela naum pode morrer! hehehe

eu concordo com a eliane cavalcanti, agora caio vai ir atras da belinha, pq vai perceber q quase a perdeu!
e vai da valor a elaa (L) (L)

vou lah pro blog dela agoraa!
eheheh

ana paula disse...

nossa... no espiritismo poderia se dizer que a Bela é médium sonambúlica...demais!!!! eu acho que ela vai ficar em coma e vai viver uma vida extra-física e vai ser nesse momento que o Caio vai se reaproximar e sentir o quanto ainda a ama!!

Meninas, capítulo novo no livro tão iguais e taõ diferentes! um amor militar na maturidade!

www.taoiguaisetaodiferentes.blogspot.com

Dayanne disse...

nossa Li..
mata a bella não...
acho que ela num vai morrer nao..eu sofri um acidente de carro a dois anos, indo para o colégio militar...um onibus bateu na traseira do fiat uno que eu estava...
o carro deu perca total..como eu estava no banco de tras, a lataria pegou na minha cabeça..
na hora fiquei acordada, mas ouvia td oq estava acontecendo, vi o resgate chegar..mas do mesmo jeito que a bella, eu nao conseguia falar que estava bem...
e hj estou aqui vivinha..entao..
a bella vai viverr...
esperooo..
estou torcendo muito por ela e pelo gustavo...

Renata disse...

Gente... to adorando a historiaa!

A Li... Mata a Bela naum! :~
Ela tem q voltar com o Caio!
\o/

prabéns, viu?!
O a estoria tah muito linda i.i

beeijos