27 de jun de 2007

Cap 40:Uma estranha no ninho

Após o tratamento de choque do trote, conheci algumas outras calouras mais a fundo. Nós aproveitamos muito a primeira semana de aula, em que poucos professores compareceram para dar uma volta em um shopping perto do campus. Estávamos reunidas em uma lanchonete comendo um hambúrguer, quando decidimos fazer um leve “jogo da verdade” para animar e trocarmos informações.
Em lugar do chinelo para girar no chão, usamos uma caneta mesmo. As revelações não eram tão absurdas assim. Descobrimos que uma das garotas, chamada Tânia, uma morena baixinha, já tinha uma filha e trabalhava como garçonete em uma boate. Outra, a Verônica, nunca trabalhara e sonhava em terminar a faculdade de letras, que tentaria conciliar concomitantemente com a nossa faculdade de comunicação. E finalmente eu fui escolhida pela Paula para mudar o foco do assunto:
_Vamos falar agora do coração. Isabela, você está amando? _ fez uma voz muito dramática, depois de demorar em formar alguma pergunta.
_Sim.
_Hummm... Ãnh..._ o grupo sugeriu um suspense e todas rimos.
_Bom, eu conheci o meu namorado já no colégio e agora ele está longe. Mas nos amamos muito sim.
_Longe? _ Verônica franziu a testa.
_É. Ele mora em São Paulo com os pais, se mudou recentemente, o pai dele foi transferido para lá por causa do trabalho.
_Nossa! Que horrível! E vocês vão continuar juntos?_ foi a vez da Paula perguntar, também curiosa, deixando de lá a brincadeira por uns instantes.
Eu me sentia um bichinho exótico sendo catalogado para estudos.
_No que depender de mim vamos ficar grudados. Ele estuda em Resende, fica perto de Penedo. Não sei se já foram... Então, ai nos vemos nos fins de semana.
_Ah! Cara, não dá para mim! Eu tenho que ver meu namorado todo dia. Esse tipo de namoro não serve para mim mesmo, é muito pouco. Imagina! Eu toda carente tendo que esperar até o fim de semana, não conseguiria jamais. Por isso que não topo essas coisas. _Tânia tomou as dores para si. _Mas vamos continuar a brincadeira. _ girou a caneta.
O meu cérebro ficou dando voltas como aquele objeto rodopiando na mesa. Pedaços da frase se repetiam alternadamente em minha memória:
“Não dá para mim!”
“Eu tenho que ver meu namorado todo dia.”
“Esse tipo de namoro não serve para mim mesmo, é muito pouco.”
“Imagina! Eu toda carente tendo que esperar até o fim de semana, não conseguiria jamais.”
Eu me arrependi de ter sido tão profunda na resposta. Sentia-me agora uma idiota, fraca, que aceita qualquer coisa em troca de sofrimento. Porém, eu sabia que o Caio era minha preciosidade e por ele valia todo sacrifício. Elas não sabiam, e será que eu deveria impor minha opinião? Temi ser grosseira logo de início. Seria pedir demais fazer com que os outros compreendesse o que eu passava.
Era uma verdadeira sensação de falta de segurança. Aos poucos eu moldaria meu modo de agir e reagir, de enfrentar, de argumentar. Como um bicho frágil que ganha a carapaça com o tempo, eu amadureceria. Pensei no meu Caio, e ele? Estaria em transformação lá dentro também?
Mal podia esperar para vê-lo amanhã. Só de pensar, fico toda feliz e ansiosa!

Autora: Li



*Blog da Bela e da Débi

* Comunidade do livro no orkut!

O livro ganhou o troféu "The Best!" do mês, no site A Gazeta dos Blogueiros!

7 comentários:

aninha disse...

eita dona Li!!!! esse capitulo cutuca uma ferida que todas nós temos dentro de nós!!!! amei! bjks

meninas, visitem o romance militar tão iguais e tão diferentes

www.taoiguaisetaodiferentes.blogspot.com

mell disse...

aaii... chegou a dar uma dorzinha no peito! =/
aguentar isso tudo q aguentamos naum eh pra tdas... sao apenas para as fortes assim como nos!
(jah q naum outro jeito, a formula eh pensar assim! ehehhe)

tava meia sumida pq tava dodoi... mas agora to 100% jah!
heheehe
e contando nos dedos para ver meu kekel \o/

Nathy disse...

Tadinha...

:(

Jéssi disse...

ta otimo Li.....
parabens...
coitada da bela.....
beijos

titta_* disse...

cutuca a ferida mesmo!! ¬¬

Imagina ela toda carente tendo que esperar até o fim DO BIMESTRE!!!.. não conseguiria jamais. #/

tb sinto mto...nunca vai saber como é doce a recompensa de se esperar por um amor de verdade.
o abraço do retorno faz parecer q valeu a pena todo o sacrifio da espera!

bjo,meninas! =**
Li...tou amando! =*

Quel disse...

Ai tadinha da bela...
Como a gente passa por isso neh?!
Adoro o jeito como da pra se identificar com alguns capitulos...
Li ta muito bom mesmo!!!Parabéns pela 100 vez! hehe
Bjusss

Li disse...

:) Meninas, beijãooooo para vocês!!!
Hoje, vou trabalhar até 11 h da noite, por isso, vou postar agora no almoço o capítulo de hoje. Tudo bem?
Amanhã à noite postarei o de amanhã. Beijãooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo da Lizinha