8 de jun de 2007

Cap 25: Um sonho ruim

Trilha sonora da cena (clique aqui)

_Mas o que é isso?_resmunguei em voz baixa, revirei o lixo e encontrei as cartas de Caio picadas._Manhêêêê! _ gritei. _Manhê, vem aqui agora!_ eu estava descontrolada, não podia acreditar no que via! Um tesouro preciso jogado no lixo sem a minha permissão!

_O que foi, menina?! Tá maluca? Quer que eu seja chamada atenção na próxima reunião de condomínio do prédio?_ minha mãe veio pelo corredor esbaforida, secando as mãos no pano de prato pendurado no ombro.

_O que significa isso?_ mostrei e seu rosto ficou paralisado, o que me fez desconfiar que meu irmão, gostando do Caio como gostava, não tinha feito aquilo por desejo e iniciativa própria.

_Eu não sei..._ ela tentou disfarçar.

_Mãe, por que as cartas do Caio estão jogadas no lixo, no quarto do Beto? _ tentei ser bem clara e mostrar que eu não estava ali para ser enrolada, fiquei de pé e cruzei os braços.

Meu irmão chegara bem na hora da rua e vira que alguma situação de tensão estava acontecendo em seu quarto.

_Beto, por que as cartas do Caio estão aqui? _ apontei para o chão e ele instantaneamente olhou para a minha mãe, averiguando algum olhar de reprovação.

_Eu...

_Roberto, você conhece o Caio, sempre adorou ele, não é possível que você não tivesse a menor consideração de me entregar as cartas, eu tinha o direito de saber se elas iriam para o lixo! _ peguei alguns pedaços e joguei para o alto, minha voz estava embargada. _ Por que fez isso?! _ uma lágrima desceu dos meus olhos.

Meu pai apareceu também, estava assustado com os gritos. Ele viu o papel no chão e pude enxergar que aquilo tinha sido um complô de toda minha família.

_Eu só fiz o que minha mãe mandou... _ Beto coçou a nuca.

_Ai minha filha, seu pai achou melhor você não sofrer mais, a gente viu você parar no hospital...

_Vocês não tinham o direito de passar por cima de mim! _ apontei para o meu próprio peito e as lágrimas caiam. Mas eram de muita raiva, de revolta, de rancor._ Eu queria muito saber o que elas diziam, vocês não tem noção de que tudo poderia ser diferente se eu tivesse recebido essas cartas? _ franzi a testa e cruzei os braços, consternada com esta situação de manipulação da minha vida pessoal.

_Eu já não agüento mais ouvir essa história! _ meu pai se virou e foi para seu quarto, batendo a porta, ele não era o tipo de pessoa que gostasse de encarar as situações.

_Minha filha, me desculpa, eu sei que eu errei. _ minha mãe estava emocionada, mas suas lágrimas eram de pena e eu odiava que tivessem pena de mim.

_Mãe, me deixa... _ puxei meu braço e fui para o meu quarto.

Fechei a porta e sentei na minha cama. Meu irmão veio atrás e abriu a porta:

_Bela, desculpa... _ ele pediu, se sentindo mais culpado que todos. _Eu fiz o que minha mãe mandou. Quando as cartas chegaram, eu achei e falei que iria te entregar, ela então me fez rasgar e mandou eu jogar fora... _ ele tentou se explicar. _ Mas olha, quem sabe a gente consegue colar? _ ele deu a idéia.

_Está tudo misturado..._ chorei.

_Lembra que já montamos quebra-cabeças enormes? _ ele recordou. _Vou lá buscar! _ anunciou e voltou pouco tempo depois com os pedaços de papel dentro da lixeira.

Escorreguei da cama e sentei no chão. Ficamos ali por muito tempo, tentando colar os pedaços com durex. Por fim, já terminada a montagem, eu agradeci afagando seu cabelo e pedi que me deixasse sozinha para ler. Não queria dividir aquilo com ninguém. Beto saiu e fechou a porta do quarto.

_”Bela, faz algum tempo que a gente não se fala. Estou sentindo muita falta de te ver e de te ouvir. Me sinto um fraco por ter pensado em ter outras coisas que me custaram nosso namoro. Eu te fiz mal e isso até hoje me deixa chateado comigo mesmo. Eu sei que não posso voltar atrás e tentar consertar. Queria pelo menos retornar ao ponto em que éramos amigos e ter você para ligar e contar meus problemas. Eu sempre quis te ter e deixei a vida me levar você...”

A carta falava substancialmente de seu arrependimento e desejo de que pudesse ao menos ter um bom relacionamento de amizade comigo.

A segunda era mais compreensiva, apenas com um pedido de que eu não guardasse mágoas dele. E terminava falando que devia se perdoar e se dar uma nova chance de continuar seu caminho.

Li e reli muitas vezes, até que dormi abraçada com o papel. Tudo poderia ter sido diferente, se eu ao menos pudesse ter recebido a tempo aquelas declarações.

***

Gustavo estava dirigindo mais rápido do que o comum. Pedi para que ele fosse mais de vagar. Ele me parecia nervoso.

_Guto, por favor, estou te pedindo. _ uma agonia começou a me bater e eu sentia que algo ruim estava para acontecer.

Nunca vira Gustavo daquela maneira, estava fora de si. Tentei colocar a minha mão no seu braço e fazê-lo diminuir a velocidade.

Uma freada brusca, um grande barulho e não vi mais nada.

De repente, acordei assustada. Sentei na cama e me percebi suada, gelada. Que sensação horrível de ter vivido um sonho tão real. Era próximo do amanhecer, seis horas da manhã.

Passei a mão no meu peito, uma sensação muito realista de morte, uma vontade de chorar. Peguei o celular e pensei em fazer a coisa mais louca e incoerente: liguei para Caio.

Ele atendeu com voz de sono:

_O que houve?
_Caio, eu acabei de sonhar que tinha morrido... Um sonho horrível...
_Bela, querida, toma uma água, foi só um sonho.
_Caio, eu não quero morrer antes de te dizer...
_Você não vai morrer! _ ele riu. _ Se tudo que eu sonhasse virasse realidade...?
_Caio, eu não quero morrer sem te dizer...
_Pára de falar isso!
_Escuta! Eu li suas cartas, encontrei elas aqui rasgadas no lixo... Mas enfim, um dia te conto como foi essa confusão, elas pararam nas minhas mãos... _ eu estava falando coisa com coisa e ele mesmo assim do outro lado tentava pacientemente entender.
_Que bom que leu e que estamos bem. Afinal, só amigos se ligam às seis da manhã. _ ele riu.
_Caio, eu vou sempre amar você. Não me faz perguntas, eu não quero atrapalhar a sua vida, eu só queria te dizer isso. O meu sonho foi tão real, tão ruim que...
_Psiu... Linda, reza antes de dormir e pede para os anjos velarem seu sono. Você sabe que eu também vou amar você, não é mesmo? Vamos dormir, tá?
_Tudo bem... Desculpa...
_..._ ouvi o barulho da sua leve risada. _Eu preciso desligar... não quero que minha namorada acorde e me ouça falando isso, ela me mataria.
_Tá...
Desliguei.
Sua namorada acordar? Eles pernoitaram em um motel? Então, o lance era sério mesmo.
Deixei o celular na cabeceira da cama e fechei os olhos. Nada daquilo tinha sido real, mentalizei com força esse pensamento. Queria que também fosse mentira Caio estar agora com outra, que Gustavo não fosse tão maneiro e não tivesse caído na minha cabeça de pára-quedas. Desejei acordar em algum dia do meu passado e estar longe de toda essa grande confusão que me saia por completo do controle.

Eu pensei que as surpresas haviam parado ali. Até que meu telefone tocou e era Robson, o amigo de Gustavo. Ele me pedira para eu fazer o tal evento do salão do automóvel. Aceitei pelo dinheiro. Nem fiz muitas perguntas sobre Gustavo me indicar sem antes me comunicar, enfim, estava querendo juntar uma grana e encher minha cabeça de empolgação.

Durante a tal feira, eu precisei distribuir sorrisos, ser gentil, feliz, enfim, representar um dos objetos de consumo que os homens gostariam ao comprar aqueles carrões importados. Durante essa cansativa tarefa, uma mulher elegantemente vestida observava as meninas. Descobri que ela era a tal Madame Evil, ex-patroa de Caio, segundo me informara uma modelo.

Ao final, enquanto eu tirava aquela roupa esquisita, me apareceu uma mulher no banheiro e pediu para eu acompanhá-la até o estacionamento. De lá fomos até a agência. Tentei sondar a mulher, mas ela disse que sua tarefa era apenas me levar ao encontro de Ilda Nascareli, a dona da famosa WV.

O que aquela mulher poderia querer comigo? Será que Gustavo havia me indicado para ela?

_Pode se sentar... _ a mulher ofereceu com um gesto de mão, assim que eu entrei em sua sala.

_Nossa, eu até agora não entendi muito bem...

_Fique tranqüila... _ a mulher sorriu. _... Eu te chamei aqui por uma boa causa.

_É? Espero que eu tenha feito um bom trabalho.

_Ah! Sim, fez... _ ela expressou uma cara de quem não estava preocupada com o evento que passara. _ Um cliente meu quer você para uma campanha. Ele te viu lá e ficou encantado, não sei o que você falou para ele... Ou como o fez gostar tanto de você...

_Eu também não me recordo de ter tratado ninguém tão bem assim...

_Pois tratou. Eu não escolheria uma amadora, ia preferir alguém gabaritada... Mas os clientes mandam. E ele cismou que quer você.

_Nossa... _ eu estava completamente surpresa.

_Você vai entrar em contato com minha secretária e ela vai agendar tudo com você.

_Claro, obrigada. _ agradeci sem nem ao menos ter mais detalhe de que campanha seria, só o fato de estar ali sendo recebida por aquela mulher importante.

Apertei sua mão e meus olhos sem querer pararam em um porta-retratos em cima da mesa. Meu coração disparou e eu reconheci aquele rosto.

_Quem é ela? _ apontei para a foto. _ Desculpe em perguntar...

A mulher olhou para mim séria.

_Por que a pergunta?

_Não, eu só queria saber: quem é ela?_ insisti.

Blog da Bela

-----***-----

--->Participe: Comunidade do livro no orkut!

5 comentários:

mell disse...

aaii... esperei tanto por esse capitulo q nem sei o q dizer!
chorei mtoo² lendo...

em primeiro lugar sacanagem essa historia das cartas neh?
coitada da guria, acho q se fosse cmg, eu dava um soco em cada um ¬¬
q desaforoooo!

serah mesmo q caio esta namorando? aaii.. naum posso e nem quero acreditar nisso! =/
belinha e caio foram feitos um pro outro...

amei o capitulo de hj, a belinha quase nem falou no gustavo \o/ \o/

Paula disse...

Ah que odio!
Esconder e rasgar as cartas??
como pode alguem fazer isso??
Mas que bom que ela achou!!
Estou com odio do caio...como pode ele esquecer a garota que sempre esteve com ele e troca-la ?
Essa historia de um trabalho cercado de misterio...não me cheira bem!

Nathy disse...

Sem comentarios pra mãe dela... aff ¬¬ alias pro pai tbm, né, humph!

Sobre a foto da mesa, eu acho q é da mesma mulher q tá no quarto do Gustavo, na parede, né?!

será?! será?!

Bjoos!

Elaine Cavalcanti: disse...

Ex-partroa do caio? A madame evil era patroa do gustavo, não?
Eu não qria que o Caio tivesse namorando!!! Queria ele com a Belinha!!

ana paula disse...

aiii... sacanagem o Caio etar com outra heim!!!