7 de jun de 2007

Cap 24: Um dia de descobertas

Trilha sonora da cena (clique aqui)


_Eu adorei a sua idéia da gente vir para cá... _ Gustavo me beijou o pescoço e me abraçou por trás, assim que fechou a porta do seu apartamento.

Eu queria conhecer melhor sobre a vida pessoal dele, me aproximar mais. E me pareceu bem disponível a se abrir comigo.

_Bela, queria te falar uma coisa... _ ele sentou no sofá cinza e segurou a minha mão.

_Pode falar... _ sorri e peguei uma almofada para colocar no colo, uma velha mania minha.

_Eu queria namorar, não tava a fim de só ficar...

_..._ eu fiquei com um sorriso congelado no rosto, mexi nos fios do meu cabelo e continuei olhando-o.

_Você não está a fim?_ não ficou feliz com minha reação. _Eu pensei que estivesse gostando.

_Guto... _ aproximei-me mais e fiz um carinho em seu cabelo. _ Eu estou gostando sim de você, mas eu também preciso te contar umas coisas...

_Eu já imagino o que seja... _ ele abaixou a cabeça. _ Um dia a Débi me falou que você teve um cara aí e que o amou muito...

_É... _suspirei. _Desculpe tocar nesse assunto...

_Eu compreendo._ ele encostou os dedos nos meus lábios para eu não falar mais. _ Por que a gente não tenta? Namorar não é casar, não estou colocando uma aliança no seu dedo. E se não der certo, se você sentir vontade de terminar, ou eu também, vamos ser sinceros e abrir o jogo um com o outro._ sugeriu.

Vendo por aquele ângulo, não me parecia nada de mal eu começar uma relação mais séria, sem sentir de fato um sentimento arrebatador.

_Eu vou fazer uma lasanha maravilhosa para nós! _ ele sugeriu.

_Você sabe cozinhar? _ eu ri alto.

_Eu não, mas o microondas, nem te conto. _ brincou.

_Ah! Tá... _ bati com a almofada em sua cabeça levemente e assim ficamos em uma guerrinha, até que ele me abraçou e nos beijamos. _Guto, eu acho que podemos tentar...

_Sim, podemos... _ ele sorriu. _Vou lá para a cozinha e você fica aqui, pode ligar a televisão, ou o computador para mexer na internet, sei lá, fica a vontade...

_Não se incomode comigo. Pode ir... _ eu disse e ele se foi para a cozinha e eu fiquei ali olhando a decoração.

Era um apartamento amplo, com uma estante branca enorme, ocupando praticamente uma parede inteira. Uma televisão grande, som, muitos cds de música, dvds e alguns livros de fotografia. Tudo tão bonito, em harmonia que duvidei ter sido ele o dono de toda aquela decoração.

Uma mesa de vidro com um computador mostrava que seu escritório era ali mesmo na sala, sem cerimônias para qualquer convidado.

_Droga! _ouvi a voz de Gustavo, depois do estalido de um vidro se partindo.

_Se machucou?_ perguntei, aparecendo na porta da cozinha. Ele estava sujo de molho de tomate. Acabava de quebrar o pote e sua camisa estava manchada de vermelho.

_Não me cortei não... Poxa, pega uma camisa para mim lá no quarto, Bela? _ pediu.

_Claro! _ abri uma das portas no corredor e encontrei um quarto com uma cama de casal virada de frente para a janela, um guarda-roupa branco e um único quadro na parede.

Era um quadro que mais parecia uma foto de uma daquelas cantoras de rádio da década de 50. Sabe aquelas mulheres que concorriam à Miss? Como posso explicar? Tinha o cabelo preto e curto. Os cachos na ponta eram presos para trás em um lado com um pequeno grampo cheio de pedras brilhosas. O rosto era alvo e perfeito, sem espinhas, sem manchas. Os olhos cor de mel pareciam fixos em um ponto atrás dos meus ombros. A mulher estava levemente inclinada para frente e tinha um casaco de pele ao redor de si negro contrastando fortemente com sua cor muito branca. Ela sorria como seu eu tivesse lhe contado um segredo que a intimidasse. Daria para ela uns vinte cinco anos. Nunca tinha visto uma pessoa tão bonita em preto e branco.

_Bela? _Gustavo apareceu na porta.
_Ah! A sua camisa... _ eu tentei disfarçar que estava encantada demais com o quadro. _ Desculpe a demora... _ abri a porta do guarda-roupa e peguei uma camisa amarela dobrada e lhe dei.
_Obrigado. _ ele vestiu.
_Quem é? Não parece ser a sua mãe... Mas achei a foto antiga..._ perguntei apontando para o grande quadro.
_É a melhor coisa que já fiz. _ ele disse, sem olhar para a imagem.
_Você bateu essa foto? É perfeita! A modelo ajuda, claro...Tentaram fazer com que parecesse que é antiga, né?
_É, ajuda. Eu tirei em preto e branco e pedi para imprimir nesse quadro para lembrar da obra de arte que eu fiz. _falou friamente. _Eu vou agora tentar limpar aquela lambança.
_Gustavo? Você não me respondeu: quem é essa mulher no seu quarto?_ segurei-o.
Ele pela primeira vez olhou para ela.
_Isso é o que eu quero esquecer, se não se importa... _ ele deu dois passos atrás e depois simplesmente se virou para sair.
Voltei para a sala e olhei para o seu computador. Eu tinha que descobrir quem era aquela mulher e tinha que ser rápido. Algo me dizia que ele deveria ter coisas arquivadas em seu micro pessoal.
Liguei para Débi e rapidamente resumi o que eu acabara de achar no quarto de Gustavo.
_Você está namorando ele e está no quarto dele, perai, o que está fazendo na casa dele?
_Débi, eu não posso demorar, me ajuda, como faço para descobrir quem é essa mulher?
_Ai, sei lá, não tem nenhum nome?
_Ele não quer falar sobre isso!_ sussurrei, conectando a internet assim que o windows iniciou.
_Nos filmes de investigação eles sempre olham o lixo das pessoas.
_Essa não é a melhor opção agora. _estiquei o pescoço e vi Gustavo limpando o chão da cozinha com um pano de chão e um balde de água.
_Bom, se ela é íntima dele, deve estar no orkut dele. Pela foto você vai reconhecer. _sugeriu.
_Vamos ver... _ loguei no meu orkut e digitei o nome de Gustavo entre os meus contatos para achar mais rapidamente. _Que maravilha, ele tem mais de 600 amigos! _ resmunguei.
_Como ela é? _ Débi perguntou.
_Tem cabelo preto, é branca... mas ela pode estar muito diferente agora... _ fiquei passando as páginas de membros o mais veloz que podia. _...Acho que achei!_ cliquei no perfil e pelas fotos do álbum era indiscutível. _Verônica Escazin. _ falei e reparei que ela estava em outro país, pois vestia uma roupa de frio pesada.
_Entra no computador dele no localizador de arquivos e digita esse nome._ Débi sugeriu.
_Isso... _ estiquei mais uma vez o pescoço e o vi na cozinha de costas para a porta.
O localizador estava varrendo o computador e meu coração disparava. Bati o pé freneticamente no chão em um tique nervoso.
_Bela, você prefere refrigerante, ou suco? _ ele perguntou se aproximando do computador mais veloz do que eu queria.
_Suco, se importa em fazer? _ pedi e ele disse que faria. Suspirei de alívio e voltei a olhar para a tela do computador. O localizador começou a mostrar dezenas de arquivos.
Abri primeiramente uma imagem chamada “Gu e vê”. Eram os dois abraçados em uma festa. Mais e mais fotos, a maioria dela. Belíssimas fotos por sinal. Então, ele tinha uma ex-namorada, noiva, ou sei lá o quê? Teria sido ela a decorar aquele apartamento?
_Bela, achou alguma coisa? _ a voz de Débi no meu ouvido me despertou para a realidade.
_Ele está com essa mulher em várias fotos. _ respondi com um tom de voz disperso.
_Vê se tem algum arquivo do histórico de conversa dele do msn? Porque quando eu pesquiso, sempre vem algum arquiv...
_Tem sim..._ cortei-a.
Abri o arquivo que demorou a completar o carregamento de tão grande que era. Torci para que Gustavo me desse mais alguns minutos.
_Eu vou tomar um banho, estou me sentindo um cachorro quente com tanto cheiro de molho... _ ele anunciou e eu desliguei o celular na cara de Débi.
_Ah! Vai sim... _ sorri para ele.
O arquivo de histórico da conversa dele com Verônica se abriu. Fui até o final e vi a última vez que eles tinham se falado. Datava da semana passada.
Ela dizia para Gustavo que voltaria de viagem daqui a três semanas. Mas que vínculo ela ainda tinha com o meu mais recente namorado?
Subi um pouco mais e li outro trecho da conversa em que surpreendentemente ele se referia a uma nova garota que tinha conhecido:
_ “Vê, eu estou com uma pessoa muito legal que conheci.“
A mulher disse que “sabia que isso acabaria acontecendo”.
_Mas você me esqueceu completamente? _ ela perguntava.
_Vê, independente de qualquer coisa que ainda sinta, eu preciso seguir com minha vida.
Aquela frase poderia ser perfeitamente aplicada a mim e a Caio.
A leitura dinâmica me deu um panorama sobre o grande amor da vida de Gustavo. Ele tinha perdido-a por um motivo que não descobri, mas a separação o fizera sofrer e ele agora dizia para ela que queria recomeçar e com essa nova garota: eu.
_Prontinho, novinho em folha. _Gustavo saiu do banheiro e eu em um ato reflexo fechei todas as janelas.
_Hummm. Que cheiro bom. _ disse, sentindo seu perfume seco enchendo todo o ar com um aroma maravilhoso.
Desliguei o computador e me levantei.
_Vou me vestir e já venho... _ ele caminhou para seu quarto de toalha envolvida na cintura e eu fiquei ali em pé no centro da sala.
Ele estava me “usando” para esquecer aquela mulher? Isso era horrível, mas não era o mesmo que eu estava fazendo com ele? Senti pena de Gustavo e o vi com compaixão.
_Eu estou faminto! _ ele correu para a cozinha para tirar a travessa de lasanha do microondas que apitava.
Sentei em uma das cadeiras altas que davam para a bancada e fiquei reparando nele distribuir os pratos, talheres e copos. Estava descalço, pisando na barra de uma calça jeans surrada e vestia a camisa amarela que eu havia lhe dado meia hora atrás.
_Putz! _ ele deu uma gargalhada.
_Que foi? _ perguntei assustada, vendo-o remexer na sua lasanha.
_Eu esqueci de tirar o plástico! _ ele não parava de rir. _Me dá um desconto vai?! _Gustavo puxou com o garfo um fino pedaço de plástico que estava separando as duas fatias de massa.
_Ah!Eu te perdôo, tá? Você está se esforçando... _ sorri e olhei para ele com o cabelo molhado caindo na testa.
_Você está tão quieta, sem fome? _ perguntou assoprando a lasanha do seu garfo.
_Nada... _balancei a cabeça para os lados.
_Bela?
_Hum. _olhei-o.
_Desculpe, eu vou tirar a foto do quarto.
_Não, não é isso... _ ri constrangida. Será que estava passando um letreiro na minha testa?_ Mas tirar também não seria uma má idéia...
_Eu vou tirar, prometo. É que eu adoro aquele sorriso e acordar com ele... Desculpe, desculpe... _ ele passou a mão no rosto. _Esquece o que eu falei.
_Em vez de ficar escondendo... Por que não conta? Quem sabe seria uma boa forma de colocar um ponto final?
_Não, que isso, você não tem nada a ver com isso.
_Bom, se agora eu sou sua namorada, tudo que tem a ver com você me deve respeito também, não?
_Tá, eu vou resumir. _ ele respirou fundo. _Eu conheci a Verônica faz uns três anos. Ela era uma garota muito tímida, cheia de problemas, de complexos e... Hoje é uma mulher muito requisitada... _ ele deu uma risada de alguma contradição que só ele sabia da graça. _ Resumindo, a gente viveu intensamente e por um curto período de tempo uma coisa só nossa, pouca gente soube de verdade e agora ela está fora do país.
_Mas você está pronto para viver uma nova relação?
_E você está?
_Bom, alguém me disse há pouco menos de uma hora que era só uma tentativa... _ respondi.
Comemos nossa lasanha e eu pedi que ele me deixasse em casa. Era para estarmos muito felizes com o início de namoro. Mas tínhamos ficado mexidos ao revirar o baú de recordações.

Eu queria ir para o meu quarto e ficar lá com os meus pensamentos. Mas minha mãe já me recebeu com uma vassoura e um balde com pano de chão:

_Hoje é o dia da faxina esqueceu gata borralheira?
_Mãe, eu...
_Pode começar pelo quarto do seu irmão que está no curso de inglês.

Respirei fundo e fui cumprir minha obrigação de boa filha, removendo o “lixão” que era aquele quarto. Tirei as roupas de cama, a fronha do travesseiro. Depois limpei as prateleiras passando lustra móveis.

Enquanto isso, eu fiquei pensando em tudo que ocorrera durante a tarde. Eu deveria estar feliz em estar namorando Gustavo, mas não estava nada eufórica. Estranho, muito estranho isso. Será que foi por causa da foto? Sei lá, quebrou o encanto, porque agora sei que ele gostava muito de alguém. Não ter o exclusivismo é ruim.

Como era bem ruim saber que Caio tinha uma namorada, poxa vida, podia ser egoísmo, mas caramba, eu não queria outra no meu lugar!

Ele não estava a fim de liberdade? Por que arrumou uma namorada? E também? Qual era a minha, eu estava por acaso pensando que quando ele quisesse alguém eu estaria disponível!

Aiiiiiii! Perguntas demais! Me concentrei na faxina.

Varri o chão e virei a lata de lixo na sacola. Joguei a sujeira e a terra em cima dos papéis.

_Hei, o que é isso? _ estranhei um selo de carta. Sacudi o papel para tirar o pó de cima e levantei no ar.
_Ai, meu Deus...
Joguei todo o lixo no chão outra vez.
_Mas o que é isso?
Meu coração disparou.

Nota1:Blog da Bela

-----***-----

--->Participe das enquetes na Comunidade do livro no orkut!

10 comentários:

mell disse...

ai ai ai... hj nem vopu falar nada do gustavo!
vou eh falar das cartas!
entao era a mae dela... aquela vacaa!
q raivaaaaaaaaa ¬¬

sobre o caio ter namorada.. juro q se eu tivesse o numero da belinha eu ligava pra ela e dizia q ele naum tem namorada nada!
q isso era soh um pretesto pra deixar ela com ciumes!
uhhsuhashuahusahu

li.. entrei aki hj de tarde umas 83 vezes, pra ver se o proximo capitulo jah estava aqui!
suhhauhuhs
q vicioooooooo \o/

Luma disse...

Nossa li 3 capitulos de uma só vez... qts coisas já aconteceram na vida da Belinha heinn...
Cartas me lembro de recebi uma bombástica logo depois q eu e mosart terminamos hehehe...
Bom mas quem recebeu as cartas e as jogou fora? Se tava no quarto do Betinho de repente ele nao queria q a irmã sofresse sei lá... né ansiosa p proximo capituloo menina rs*
Beijos

Li disse...

mell sorryyyy rsrs não foi intencional. mas hoje tive que trabalhar feito uma mula o dia todo. to quebrada, mas cheguei suada e faminta e a primeira coisa que eu fiz foi publicar!
vc me redime? :P hahahah
um beijuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu no coração de vcs!

não percam, pq o clímax está se aproximando!!!!

curiosas?

eu tb! :p

Li

Elaine Cavalcanti: disse...

kkkkkkkkkkkkkk,que maldade, achar a carta só no final! Eu to ultra curiosas para saber o que tinha nessas cartas!!!! heuehueheuhe! To adorando! viciadissima! Beijão!!

Elaine Cavalcanti: disse...

*curiosa

Tita disse...

As cartas! As cartas! =D
Aiaiai o que tá escrito nelas? (sempre deixa a gente curiosa né Li?) auhauha
Mto legal!
Ah conta pra vcs... To aqui esperando o namorado passar aqui em casa! To me mordendo de ansiedade, parecendo quando a gente começou a se ver! hahaha
Beijuu meninas!

Dayanne disse...

aiii..tô muito curiosa...
tipo que o Gustavo é td de bom..mas quero que ela fique com o Caiooo...
oq tá escrito nas carta????
morrendo de curiosidade...
bjao meninas

Dayanne disse...

aiii..tô muito curiosa...
tipo que o Gustavo é td de bom..mas quero que ela fique com o Caiooo...
oq tá escrito nas carta????
morrendo de curiosidade...
bjao meninas

Dayanne disse...

hii..foi duas vezes...
foi mals

Ana Paula disse...

minha querida amiga praticamente irmã... que sempre me apóia nas piores horas e da risada comigo nas melhores... estou passando pra te desejar um ótimo fim de semana!!! um bju enorme no seu coração Li!!! será que eu posso usar seu cantinho pra divulgar meu livro sobre o amor militar na maturidade ????

www.taoiguaisetaodiferentes.blogspot.com