6 de jun de 2007

Cap 23: O paradeiro das cartas

Trilha sonora da cena (clique aqui)

Abri o papel que estava na minha caderneta e senti o meu coração disparar:
_Gostosa, se eu te pegasse naquela calcinha, eu te...
Nem consegui terminar de ler, amassei o papel com força e o joguei no lixo. Bilhetinhos como aqueles se sucederam e eu precisei conviver com recados na porta do banheiro de invejosas, no tampo da minha mesa, no quadro de aula... A fama tinha um preço.
Fui falar isso para Gustavo, que me envolveu a cintura e beijou minha cabeça:
_Puro recalque, minha linda, não ligue para eles.
Estávamos subindo as escadas da sua faculdade para assistir a aula. Era um prédio com arquitetura muito antiga, tombado pelo patrimônio histórico. As paredes eram de azulejos azuis portugueses e o chão de pedras. Tudo parecia tão amplo, livre. Muito diferente do ambiente opressor e de controle da escola.
Sentamos no fundo de uma sala e ele ficou fazendo carinho na minha cabeça, enquanto eu estava deitada sobre o tampo de escrever de sua carteira.
_Você está me fazendo feliz como a muito tempo eu não me sentia... _ ele falou baixinho.
_Você também. _ devolvi o elogio, não poderia negar que era bom estar ao seu lado, sem ter que me impor sacrifícios.
_Não ligue para esses invejosos... _ voltou a tocar no assunto dos recados. _ Ao mesmo tempo você terá muitos ganhos. O dinheiro por exemplo, o que você fez com ele?
_Guardei, quero fazer algo legal nas férias. Isso realmente foi muito bom._ sorri.
_Você não quer fazer o salão do automóvel? Ficar apresentando os carros. Vai ganhar muito bem... Pelo menos para um dia.
_Não sei...
_Pensa, dependendo você poderá conhecer até o exterior com o seu próprio dinheiro. Nunca quis viajar? Sabe, Bela, nesse mundo não desperdice as oportunidades. Uma porta abre outra. Um trabalho te empurra para um outro. É um efeito cadeia. Se não der um peteleco na primeira peça de dominó, não verá o movimento acontecer...
_Gustavo, por que você saiu dessa agência?
_Porque acabou o meu contrato.
_E eles não renovaram? Você indicou seu amigo para o seu lugar? Porque se você conhece tantas pessoas, se faz tudo tão bem, não teria por que eles não te quererem...
_Ai, linda, esse mundo é tão cheio de políticas e hipocrisias... Um dia te conto... _ ele suspirou.
O professor entrou na sala. Era alto, forte e de cabelos brancos. Pegou uma caneta pilot verde e escreveu no quadro:
_ “A vida em suas mãos”. “Um carro, uma lenda”. “Vista a alma pelo lado de fora”. _ terminou de colocar as frases e se sentou na sua cadeira, bem despojadamente. _ Essas são três frases de propaganda. Vocês se lembram de quais produtos são? _ ele olhou para turma, que se resumia a uns quinze alunos e ficou batendo com o pilot no queixo, na expectativa que alguém respondesse.
Gustavo foi o primeiro a dizer:
_Vista a alma pelo lado de fora é do tênis All Star que está por aí. Agora essas outras... Não sei, não me é estranha a primeira, mas não consigo me lembrar.
A turma concordou, não se lembravam.
_A primeira é da Oi, da companhia de telefonia celular. _ o professor revelou e a segunda era de um carro que ele pronunciou o nome, mas não consegui entender muito bem qual era. _ Agora por que vocês tiveram dificuldade de lembrar da Oi? Se vocês estão aqui estudando propaganda? O All Star está no repertório de vocês. Algumas pessoas usam o tênis perto de você, você usa. Mas você também usa celular. _ Ele fez uma pausa esperando algum comentário e se levantou. _As pessoas não têm a vida delas nas mãos. Mas elas podem ter os objetos. _ disse._ E os objetos são investidos de sentimentos que não são da ordem dos objetos, mas da ordem dos sujeitos. As pessoas fazem coisas, os objetos não. Mas hoje, a propaganda não diz mais no seu enunciado o que o seu produto faz. Não se vende mais carro. Se vende um conceito de locomoção.
Eu senti minha cabeça dar um nó. Aquilo não era aula de fórmulas chatas de física, nem de decoreba das causas da Sabinada ou da Balaiada. Era pensar a vida!
_As pessoas possuem dentro de si lacunas. E essas lacunas são preenchidas com os objetos, já que elas não podem preencher com os sentimentos. Isso é o fetiche da mercadoria. Você não tem a mulher linda, mas pode ter a calcinha dela que está sendo leiloada. É uma parte que vai te remeter ao todo.
Gustavo fez algumas anotações em seu caderno.
_Sabe quando você é criança e te ensinam que o vovô viu a uva? Você pega um conceito, uma palavra e liga ela a o objeto “uva”, “vovô”. Isso aqui... _ bateu com o pilot no quadro para chamar a atenção para as frases das propagandas. _... É uma forma de outra alfabetização. Vários conceitos são remetidos aos objetos. Se você vê uma pessoa ignorante falar assim “agente vamos na puliça”, soa como um ruído. Incomoda. Por quê?
_Porque foge a norma, a regra._ Uma menina na primeira carteira respondeu.
_Isso mesmo! E quando você não usa a roupa da moda, quando você não consome a bota da moda, o perfume da moda... você está produzindo ruído e isso incomoda.
Gustavo continuava anotando e minha cabeça ia fazendo mil conecções.
_Para que a pessoa lembre que a propaganda “a vida em suas mãos” é da “oi”, aquilo tem que fazer parte do repertório da subjetividade dela. Você tem que conhecer o seu consumidor muito bem. Não adianta fazer propaganda de café no Japão. Lá o chá é a “visão de mundo” das pessoas. Mas você pode driblar isso e vender bala de café, bolo de café, doce de café... Achar um nincho.
Aquela avalanche de informações me trouxe uma deliciosa sensação de estar espreitando na janela um mundo totalmente novo. E agora Gustavo era lido de outra maneira pela minha cabeça. Parecia mais coerente.
Eu estava louca para chegar em casa e escrever um texto para o meu blog. Muitas coisas se esclareceram em minha cabeça.
Depois de escrever e postar, me dei conta de que eu estava com fome, mas o cansaço era tanto, que eu só tinha força para tirar minha roupa. Deitei só de calcinha e sutiã na cama e quando o sono já me dominava, ouvi um barulhinho estranho. Abri os olhos e reparei no meu celular vibrando em cima da mesa do computador. Eu o havia deixado no vibra call para não atrapalhar a aula de Gustavo e tinha esquecido de voltar para o modo tocar.
Será que era ele de novo para me desejar boa noite? Cambaleei meio zumbi com um sorrisinho no rosto e peguei o aparelho.
_Ai meu Deus! _ senti um frio na barriga e uma descarga elétrica percorreu todo o meu corpo.
Eu não podia acreditar naquilo. Atendi:
_Caio? _ minha voz mostrava toda a minha surpresa e meu coração disparado indicava a alegria de reconhecer aquele nome no visor do meu celular.
_Oi, Bela.
_Oi... _ ri de nervosismo, como eu ainda podia ficar com aquele jeito de idiota? Se ele tivesse me dito que me ligara só para dizer “oi”, eu já teria gostado._ Aconteceu alguma coisa?
_Eu sei que não temos mais nada, mas é que...
_Hãn... _ incentivei-o a falar.
_A prova do vestibular vai chegar e eu queria te desejar boa prova, eu sei que é uma coisa importante para você.
_A prova?_(Céus! Eu andava tão envolvida com os trabalhos que Gustavo me arrumava que nem pensava em provas.)_Ah! A prova do vestibular, sim, claro, obrigada! Dessa vez eu espero que eu passe..._ ri._ E você?_ tentei prolongar a conversa. _Um dia desses pensei em te ligar, mas fiquei constrangida.
Ai, essa não! Como eu tive coragem de dizer isso? Era incrível minha capacidade de dizer coisas para ele de coração, sem raciocinar muito.

Lembrei do que a minha amiga virtual Ariel havia escrito sobre o amor verdadeiro no meu blog: “Aquele amor que te faz sentir que é a coisa certa, que te dá todas as dúvidas com a resposta logo em seguida, que te faz querer tê-lo sempre mais, não importa o que aconteça, que não te abandona mesmo que vc erre feio com ele, que te abraça e te beija depois de uma briga, e que nunca, nunca, te deixa chorar sozinha...”

Caio sabia o que era verdadeiramente importante para mim, mesmo que, como ele mesmo falou, “não haja nada entre a gente mais...”.

Eu deveria ter tido a mesma coragem que a dele de ligar para parabenizá-lo pelo seu término da PREP, conforme me aconselharam no meu site: “Vc não deve deixar q um problema tire a oportunidade de celebrar. Vocês teêm um passado em comum, um passado mto lindo pelo visto... acho q vocês dois merecem a felicidade (vc, de ouvir a voz dele e ele, de receber os seus sinceros parabéns)”.

Mas no fundo, eu ainda estava com vontade de ficar longe, de sei lá, recuperar meu orgulho próprio, bem como me disse a Fefe floft: “sobre vc ligar p o caio...acho q n devia ligar n...acho q devia ignorá-lo... ele vai te ver nas fotos e vc n vai ligar,..ele vai perceber q realmente perdeu vc... ele vai acordar q perdeu uma pessoa maravilhosa e q sua vida vai de vento em popa sem ele...vai ver q vc faz mais falta p ele do q ele p vc...”

_Hum... É?_ ele ficou mudo, sem acrescentar mais nada.
_É... Eu queria te dar parabéns por você ter chegado até o fim lá na Prep.
_Obrigado, sobrevivi. Eu perguntei ontem mesmo por você para um amigo meu. Ele me falou que muitas coisas andaram acontecendo na sua vida...
_É muita coisa, louco mesmo...
Do que será que ele estava se referindo?
_Eu te vi na propaganda.
_Viu? _ fiquei feliz. _ E o que achou?
_Bom, acho que seu namorado não vai gostar muito de saber que estou dando minha opinião sobre você de calcinha... _ riu tímido e nada me soou mais estranho que “seu namorado” partindo da boca dele.
_Seu amigo falou que eu estou namorando? _ estranhei.
_Não, eu chutei mesmo... Me falaram outras paradas...
_Ãnh... _ provavelmente ele entrara no meu orkut e olhara meus scraps com o Gustavo, pelo identificador eu sabia que ele havia visitado meu perfil.
_Então, e os preparativos da festa?
_Bela, eu tenho que desligar, minha namorada deve estar me esperando.
“MI-NHA NA-MO-RA-DA DE-VE ES-TAR ME ES-PE-RAN-DO”? Foi isso que ele falou ou houve alguma linha cruzada?
_Ah! Sua namorada... _ repeti, sentindo a facada chegando do outro lado das costas. Pensei na sua prima enchendo o orkut dele de scraps. Seria ela?
_Bom, fico feliz que ainda exista alguma coisa boa entre nós. _ falou com tom de despedida. _ Fiquei preocupado por você não ter respondido as cartas que te mandei.
_Cartas?
_Mas depois acabei entendendo, né? Você acabou sem querer me ajudando a me recuperar. Enfim, nada disso tem mais...
_Que cartas, Caio?
_Como que cartas?_ ele não entendeu.
_Ora, eu que pergunto, que cartas que está falando?! Não recebi carta nenhuma.
_Não? Mas eu... _ ele ficou confuso. _ Ah! Bela, deixa para lá, não tem mais a menor importância, não é mesmo? Eu tenho que desligar ta? Estou falando sério. Beijo, gata! _ desligou.
“Beijo, gata?”. Aquilo tinha soado igualzinho Gustavo falando com suas “amigas” modelos, que era seus contatos “para quando precisasse”.
“Gata”? Blergtttt!
Mas, hei!, que cartas eram aquelas de que ele estava falando? Antes que a ficha caísse, vi minha mãe entrar no quarto.
_Bela, você tem simulado amanhã, minha filha. Dorme, hen? _ avisou e colocou algumas roupas minhas passadas dentro do meu guarda-roupa.
Perguntei-lhe se eu havia recebido alguma correspondência e ela disse que não sabia de nada. Palpitou que os carteiros tinham mania de entregar cartas em lugares errados. Eu, então, contra argumentei que aqui no prédio todos nos conheciam e, se isso ocorresse, alguém poderia me entregar, ou pediria para o porteiro me entregar. Ela falou que não podia fazer nada em relação a isso.
_Ah! Eu queria te falar... _ ela veio toda empolgadinha para o meu lado. _ Que gostei muito do Gustavo.
_Gostou?_ levantei as sobrancelhas.
Me toquei que Gustavo ficara na sala, sobre as inspetoria de minha mãe, enquanto eu me arrumava para ir a aula com ele, hoje. O que deve ter dito a ela?
_É, ele é um rapaz muito bonito e educado. Ele me falou que gostaria muito de namorar você.
_Perai, o que ele falou?_ passei a mão no rosto. Eu deveria estar dormindo e meu despertador me acordaria em qualquer instante. Primeiro aquilo das cartas do Caio, agora essa do Gustavo?! _ Ele pediu para a senhora para me namorar?
_Não, não bem pediu. Mas disse que você é uma menina linda e que está gostando muito de você e que queria um dia namorar você...
_Eu imaginei... _ suspirei e sentei na cama.
_Filha! Esqueça essas cartas, põe o Caio de lado e dê uma chance ao coração!
Minha mãe me dando conselhos amorosos? Só faltava meu pai entrar no quarto vestido de baiana. Pára o mundo que eu quero descer.
_Ele é legal... _ tive que concordar.
_Então, minha rainha! _ beijou a minha testa e saiu do quarto toda sorridente.
Eu perdi completamente o sono de súbito. Cai de costas na cama e minha cabeça começou a rodar.
Que estava escrito naquelas cartas. Mas será que Caio estava certo sobre não dar mais importância a isso? E minha mãe, quem sabe tinha razão, eu deveria dar uma chance nova ao meu coração.

Outras pessoas já tinham me dado esse conselho, no blog¹:

_“Não adianta ficar remexendo no passado... corra p o presente... aproveite e seja feliz...se depois caio reaparecer ai vc pensa c vale a pena..mais enquanto isso n acontece desencana dele e aproveita quem te quer...”;

_“dá uma chance p o gustavo..mas uma chance verdadeira...n só beijos, mas com o coração trancado...sei q n é fácil nd disso..mas acho q está precisando... acho q n deve ligar p o caio n..dah uma sumida msm,... foi ele q disse q queria um tempo p ele..q queria ser solto..então deixa ele solto...c for p ele voltar ele vai voltar..mais n fica esperando..aproveita quem te quer e abra seu coração...Quem sabe a felicidade está ao seu lado e vc n esta enxergando?”

_ “Se vc quiser dar uma chance para ele: abra o coração. Senão vc pode partir o coração de um inocente barquinho que veio parar no cais do seu coração machucado... ele não tem culpa do seu passado, não o deixe sofrer por causa disso.”

_"só dê a chance pro Gustavo se o seu coração realmente quiser, não leve pela carencia ou pelo fato de querer esquecer o Caio."

Eu tinha que pensar muito sobre isso: não poderia machucar Gustavo. Mas quem era Gustavo?Precisava saber mais sobre ele! Como ele mesmo diz: “conheça o ponto fraco das pessoas”. Onde estava o dele?! Era o que eu tentaria descobrir amanhã. Porque eu não poderia me atirar em uma coisa sem conhecer onde estava me metendo!

E quem procura... Acha!

Nota1:Blog da Bela

-----***-----

--->Responda as enquetes de hoje na Comunidade do livro no orkut!

13 comentários:

li (autora) disse...

Oi, minhas queridas leitoras!

Bom, tive que compactar vários capítulos em um só e dar um salto mortal parabólico no meu script! rs
Afinal, vocês queriam saber tanto onde fora parar o Caio.

Só que vou ter que deixar vocês na curiosidade, então, para o próximo capítulo para saberem mais!

Fortes emoções chegando,hen!
Beijinhos!

p.s: Não deixem de participar do Blog da Bela, afinal, vocês agora também fazem parte da estória!

Desculpe se nem em todo momento coloco a autoria nos comentários, mas é para não ficar tão repetitivo e quebrar a fluência da narrativa, tudo bem, né?

E ah! Essa página virada bem no meio da tarde foi um "plus", viu mocinhas?! Já que hoje recebi de última hora folga do trabalho.

Agora vou ter que continuar a escrever o script, depois que compactei tantos capítulos num só! tsi tsi tsi...!

Nunca escrevi tanto (no sentido quantidade)! Mas também nunca fiquei tão feliz com o resultado do meu trabalho. Os e-mails que estão chegando, os scraps, nossa fantástico isso!

Please, me ajudem a divulgar a estória?!!!!!! Por que ou eu escrevo, ou eu divulgo, rs!!!

Beijão da Li

(que comentário grande! hauhau)

Dayanne disse...

nossa Li...
simplismente amaaaaaaaando...e viciadissima....
estou elogiando sua novela para muitas meninas e passando o blog...
bjaoooo lindaaa

Nathy disse...

Ai meu coração bateu tão forte qdo o Caio ligou... (já senti isso antes...)

Ele tá namorando!!?!?!?!?!?!?
EU NÃO ACREDITO... estou morrendo de odio dele, espero q ela seja uma gorda, feia, burra e ridicula! aff ¬¬

Q ODIO!!!!!!!

Não quero mais a Bela com o Gustavo, quero com o Caio!!! huiahha, é serio... poxa!

:(

Bjoos!

feriele disse...

olha tyo chocada..n acredito q ele está namorando;;;...ele n queria ser livre? como assim tah preso a outra to revolta...AI QUE RAIVA!!!!!!!!!!
bjs meninas

Paula disse...

ah tem uma hora que voce coloca caio,mas é com o gustavo que ela ta falando!

Paula disse...

Ah eu acho que foi a mãe da bela que escondeu as cartas... eu ficaria muito brava com minha mãe porq ela esta me privando de encarar as dificuldades!

Li disse...

Paulinha, obrigada pelo toque! eu já consertei. rs. ato falho. beijinhos.

onde foram parar essas cartas hen? e o que elas dizem? ???? ¬¬

Lucy disse...

Minha cabeça tá dando piruetas e meu coração está saltitante de felicidade!!! Eu sabia q o Caio ia ligar!!! Eu sabia!!! \o/ uahahahahahahaha

E ele não tem namorada nenhuma, tá é de pilantragem!!! Ele tá tentando fazer a Bela não se sentir mal por ter arranjado um namorado (foi o q o Caio ouviu, certo?). Bem, é o que eu acho. E as cartas!!! Poutz! Foi a mãe dela, aquela mulher feia!!! Feia!!! Não se faz isso com ninguém!!! Ow, droga!!! Tudo bem q ela quer esquecer o Caio e bla bla bla mas ela tem q andar com as próprias pernas, aprender a lidar com as dores e frustrações, a mãe dela não pode tirar das mãos da Bela a escolha de ler as cartas e de resolver sozinha o q fazer com elas. Poxa, poxa, poxa!!! *zangada*

E o Caio ligou!!! E ela ficou balançada! Que lindo!!! Sei que isso não significa mta coisa pras pessoas, mas pra mim é tão lindo ver os sentimentos deles nessa situação... me faz ter esperanças! Td bem q eu torço mais pelo Caio do q pelo Gustavo... só que eu sou uma pessoa diferente em alguns aspectos. Eu acredito que é preciso mta lapidação para um diamante bruto ficar perfeitamente lindo, se vc desiste de lapidar não vai ter aquela visão de um diamante perfeito, puro e lindo nas suas mãos. Vc perde... entende? Opa! Vou escrever isso qq dia desses no blog da Bela... mas vai ser no momento certo.

Falando nisso, vou já passar por lá..."

Ana Paula disse...

cruzes Li!!! vc tem o dom de enxergar a nossa alma! rrsrsrs!!! nossa... a gente vive rodeada de emoções com estes capítulos!!!rsrsrs!!!! bjão maninha linda!!

Meninas, se puderem visitem o romance Tão iguais e tão diferentes

também conta a história de um amor militra, mas na maturidade!!!

www.taoiguaisetaodiferentes.blogspot.com

titta_* disse...

como assim namorada???
ah mas esse caio ta eh mto folgado!!!
audácia!! =// assim fica difícil torce pelo amor desses 2 com eles próprios jogando contra mim..

e esse Gustavo,heim?! qual a dele.."entrosadinho" mesmo o menino!
ai ai ...
resta-me esperar cenas dos próx. capítulos!!!

mas tou adorando acompanhá-la,Li!

=)



bjo =*************

mell disse...

eh mentira do caio! ele nem tem namorada dele...
inventou isso soh pra ver a reaçao da belinha! gosto tanto dele.. defendo ele ateh as ultimas!
shaushushuahsuaus

no proximo capitulo a belinha vai achar um monteeee² de defeitos no gustavo, ainda mais agora q o caio tah voltando a ativa!
uhuhhuhuhu
to vendo q o 'gu' vai dançarrr \o/ \o/
bem feito pra elee!
uhuhhuuhuh

tah lindaaaaa a historiaa, esperei tanto por esse momento! caio eh um amor mesmo!
hehehehe

(L)

Ana Paula disse...

olá meninas!!! estou passando pr desejar um ótimo feriado a todas!!! e convidá-las para conhecer meu livro, que aborda um romance militar na maturidade!

www.taoiguaisetaodiferentes.blogspot.com

Kamylla disse...

nussa Li qndo li que caio ligou pra bela quase dei um troço,parecia q era comigo isso. e o pior foi qndo ele disse q tinha UMA NAMORADA,nao acerditei,meu coraçao disparou como se realmente tivesse acontecendo isso cmg.

to adorando!

mil vezes parabéns!

beijossss

=****